Ministério Público acusa 19 militares no caso da morte de dois recrutas dos Comandos

| País

|

O Ministério Público acusou 19 militares, incluindo um médico e um enfermeiro, no caso das mortes dos recrutas do curso de Comandos Hugo Abreu e Dylan Silva, em setembro de 2016, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo a mesma fonte, entre os acusados estão vários instrutores do curso de Comandos e seus superiores hierárquicos. Em causa estão os crimes de abuso de autoridade e ofensas à integridade física agravadas.

O despacho de acusação da procuradora Cândida Vilar ainda não foi notificada aos advogados de defesa.

O inquérito do MP investigou a morte daqueles dois recrutas e também factos relacionados com outros instruendos que receberam assistência hospitalar, durante o treino do 127.º Curso de Comandos, na região de Alcochete, distrito de Setúbal, a 04 de setembro de 2016.

Tópicos:

Ministério Público, morte recrutas, Comandos,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.