Ministério Público acusa 19 militares no caso da morte de dois recrutas dos Comandos

| País

|

O Ministério Público acusou 19 militares, incluindo um médico e um enfermeiro, no caso das mortes dos recrutas do curso de Comandos Hugo Abreu e Dylan Silva, em setembro de 2016, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo a mesma fonte, entre os acusados estão vários instrutores do curso de Comandos e seus superiores hierárquicos. Em causa estão os crimes de abuso de autoridade e ofensas à integridade física agravadas.

O despacho de acusação da procuradora Cândida Vilar ainda não foi notificada aos advogados de defesa.

O inquérito do MP investigou a morte daqueles dois recrutas e também factos relacionados com outros instruendos que receberam assistência hospitalar, durante o treino do 127.º Curso de Comandos, na região de Alcochete, distrito de Setúbal, a 04 de setembro de 2016.

Tópicos:

Ministério Público, morte recrutas, Comandos,

A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.