Nitrato de amónio que explodiu em Beirute destinava-se a empresa portuguesa

por RTP

O nitrato de amónio que explodiu em Beirute foi encomendado por uma empresa ligada a portugueses.

Os químicos tinham sido encomendados pela Fábrica de Explosivos de Moçambique detida por uma empresa da Póvoa de Lanhoso.

O destino era o porto da Beira, mas nunca passou do Líbano.

À RTP, a empresa garantiu que nunca foi proprietária do nitrato de amónio porque a compra não foi concretizada.
pub