Oito barras marítimas fechadas devido à agitação marítima

| País

Oito barras marítimas do continente estão hoje fechadas à navegação e outras três condicionadas devido à previsão de agitação marítima, de acordo com informação disponível no `site` da Marinha Portuguesa.

Segundo a Marinha, as barras de Vila Praia de Âncora, Caminha, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Douro, São Martinho do Porto e Ericeira estão hoje fechadas à navegação devido à previsão de ondas até cinco metros.

As barras de Viana do Castelo e Aveiro estão fechadas apenas a embarcações de comprimento inferior a 30 e 11 metros, respetivamente.

Também a barra da Figueira da Foz está condicionada a embarcações de comprimento inferior a 11 metros.

Por causa da agitação marítima, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu aviso amarelo para os distritos de Viana do Castelo, Porto, Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria e Lisboa.

De acordo com o Instituto, aqueles sete distritos vão estar sob aviso amarelo a partir da tarde de hoje e até sábado devido à previsão de ondas de noroeste com 04 a 05 metros.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que há situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

A previsão de agravamento do estado do mar levou a Autoridade Marítima Portuguesa (AMN) a emitir recomendações à população.

De acordo com a AMN, estão previstas ondas que podem chegar aos cinco metros de altura no mar, o que originará forte rebentação junto à costa oeste de Portugal Continental.

Por isso, a Autoridade Marítima recomenda à população que "durante toda a semana se abstenham da prática de passeios junto à costa e nas praias e de atividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima, sendo essencial que assumam uma postura preventiva não se expondo desnecessariamente ao risco".

A Autoridade Marítima aconselha também aos pescadores lúdicos de pesca à cana que evitem pescar junto a zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas.

Tópicos:

Figueira, Praia,

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.