Operação "Ano Novo" com menos vítimas mortais

| País

Menos mortos e menos feridos graves registados este ano
|

Terminou esta terça-feira a operação "Ano Novo" da GNR, com o registo de 858 acidentes, três vítimas mortais, 10 feridos graves e 339 feridos ligeiros. Conclusão da GNR: os excessos continuam.

Em direto esta manhã no Bom Dia Portugal, o Major Paulo Gonçalves afirmava que o "balanço é negativo uma vez que voltámos a registar mortos, feridos graves e feridos leves".

É certo que sim, apesar de terem sido registados, em comparação com o período homólogo do ano passado, menos 84 acidentes, menos quatro mortos, menos oito feridos graves. Mas mais 162 feridos leves.

A Operação "Ano Novo" deste ano começou na sexta-feira e durou até ao final desta terça-feira. O reforço do patrulhamento nas estradas teve como objetivo prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança.

"Apesar dos nossos avisos constantes os acidentes continuam a ocorrer", disse o Major Paulo Gonçalves. "E também apesar dos nossos avisos continuamos a verificar inúmeras infrações". Ao todo, neste dias, a GNR contabilizou 6763 infrações. Dessas, 720 foram por excesso de álcool, mas há também quem continue a conduzir sem o cinto de segurança ou ao telemóvel.

Tópicos:

Operação ano Novo, acidentes, estradas, GNR,

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

Na única entrevista concedida a uma televisão, Regina Mateus falou com a jornalista Sandra Claudino.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.