Operação Ano Novo da GNR com menos vítimas mortais e menos feridos graves

| País
Operação Ano Novo da GNR com menos vítimas mortais e menos feridos graves

A ver: Operação Ano Novo da GNR com menos vítimas mortais e menos feridos graves

A operação Ano Novo da GNR terminou na terça-feira à meia-noite. O balanço é de três vítimas mortais e 858 acidentes. Há ainda a registar dez feridos graves e 339 feridos ligeiros, num total de seis mil contra-ordenações.

O major Paulo Gonçalves, da GNR, considera que o balanço é negativo, uma vez que há mortos e feridos a registar. Ainda assim, em comparação com igual período do ano passado, regista-se uma redução no número de vítimas, feridos e acidentes.

A GNR sublinha que apesar de ter havido uma diminuição, os dados continuam a ser preocupantes. As infrações mais frequentes registadas durante a Operação Ano Novo foram o excesso de álcool, a falta de uso ou o uso indevido dos cintos de segurança ou o uso indevido do telemóvel.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.