Orografia dificulta combate às chamas no Parque Nacional Peneda-Gerês

por RTP

Com a chegada da noite, os meios aéreos vão deixar de actuar contra o incêndio que está a lavrar no Parque Nacional Peneda-Gerês, de ambos os lados da fronteira.

Prevê-se que o combate as chamas fique dificultado nas próximas horas, num terreno de orografia difícil, montanhosa, que praticamente só permite equipas apeadas.

O CDOS de Viana do Castelo prevê uma "situação muito complicada".

O Governo português já pediu à Protecção Civil uma investigação ao incêndio e falou com o autarca de Ponte da Barca, preocupado com o evoluir das chamas na área.

Espanha irá investigar por seu lado a queda de um avião Canadair, no lado espanhol, a dois quilómetros da fronteira, durante o combate ao incêndio.

O acidente vitimou o piloto português do aparelho e deixou gravemente ferido o seu copiloto, espanhol.
pub