Pedrógão. Xavier Viegas detetou indícios de irregularidades na reconstrução

| País

|

Xavier Viegas, responsável pelo relatório independente sobre os incêndios de junho do ano passado em Pedrógão Grande, diz que durante os trabalhos de recolha de dados no terreno a equipa de Coimbra foi encontrando sinais suspeitos. Xavier Viegas diz que o número de estruturas que a sua equipa identificou como de primeira habitação era metade do número que a Comissão de Desenvolvimento Regional tem de casas de primeira habitação para reconstrução. Um "número não insignificante de casos irregulares", diz o investigador, que admite ter falhado como cidadão na denúncia destas suspeitas.

Em entrevista à RTP e Antena 1, Xavier Viegas admite que os números que a sua equipa recolheu no terreno não batem certo com os da lista final de casas de primeira habitação para reconstrução. O investigador diz que há poucos dias teve uma reunião com a CCDR, Comissão de Desenvolvimento Regional e que verificou nessa altura que "o número de estruturas que a minha equipa identificou nos sete concelhos afetados era metade do número que a CCDR tem como casas de primeira habitação para serem reconstruídas". O investigador fala por exemplo de casos de casas que já estava devoultas antes dos incêndios e que constarão da lista de reconstruções.

Perante estes dados e depois da comunicação social ter vindo a revelar casos de alegadas irregularidades na reconstrução de estruturas destruídas pelos incêndios, Xavier Viegas considera que era dever da equipa informar as autoridades de que a equipa que liderou tem dados recolhidos logo após os incêndios, uma súmula do trabalho realizado em mais de mil locais.

"Os dados podem não ser 100% corretos", admite o investigador, até porque o âmbito da sua investigação não estava ligado com a reconstrução, mas tem decerto informação que pode ser "confrontada com outras fontes" e auxiliar a investigação. Dados que vão para além de relatos circustanciais de pessoas no terreno.


Xavier Viegas diz que nos contactos que tem realizado, verificou um "número não insignificante de casos irregulares" que merecem uma reflexão e uma revisão dos processos. Ainda não terá sido contactado pela Polícia Judiciária, que ainda esta quarta-feira realizou buscas na Câmara Municipal de Pedrógão Grande e na Casa da Cultura, mas afirma estar disponível para ajudar na investigação.

No entanto, Xavier Viegas admite que falhou como cidadão na denúncia das suspeitas, mesmo que esse não fosse o âmbito da investigação de que estava incumbido. "Penalizo-me", disse Viegas, admitindo que não lhe tinha ocorrido antes avançar com esta denúncia.





A informação mais vista

+ Em Foco

Foi há 50 anos que o Homem partiu para a Lua. De Cabo Canaveral, nos EUA, seguiram três astronautas para colocar os nomes na história da humanidade.

Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.