Polícias podem voltar à rua se falharem as promessas

| País
Polícias podem voltar à rua se falharem as promessas

As polícias estiveram na rua, em protesto, e prometem voltar se as reivindicações não forem atendidas.

O protesto das forças de segurança terminou já noite dentro em frente à residência oficial do primeiro-ministro, tendo passado também pela frente do Parlamento.

Estes profissionais reclamam o descongelamento das carreiras e mais investimento no setor, exigências que foram entregues num documento no Ministério das Finanças.

Ora, fazendo um balanço positivo, César Nogueira, da comissão coordenadora, deixou essa promessa de que se as reivindicações não forem atendidas, as ruas voltam a ser palco de manifestações como esta.

Para Paulo Rodrigues, da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, há margem para negociar com o Governo mas lembra que depois das negociações é tempo de cumprir.



Descongelamento de carreiras e mais investimento no setor, reivindicações que se fizeram ouvir esta quinta-feira, em Lisboa, por parte dos profissionais das forças e serviços de segurança.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Filipe Vasconcelos Romão, comentador de assuntos internacionais, refere que o artigo 155 da Constituição Espanhola será aplicado sem que haja qualquer lei de enquadramento.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Em entrevista à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o ministro do Trabalho e da Segurança Social considera que a apresentação da moção de censura não vai trazer mudanças significativas.