PR aponta "expetativas" de mudança como justificação para greves

| País

O Presidente da República (PR) afirmou hoje que se criaram "expetativas de ser possível rapidamente" responder a "algumas reivindicações" sociais, apontando este como um dos três fatores para a conjugação de greves em vários setores públicos.

"Há períodos que a História revela que são mais intensos de luta laboral. São períodos que correspondem a expetativas que são geradas e à ideia de que é possível rapidamente convertê-las em modificações da situação social", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa no Porto, à margem de uma ceia de Natal com famílias carenciadas e sem-abrigo, organizada pela associação Amor Perfeito no Instituto do Terço.

Para o PR, os outros dois fatores para se estarem a realizar greves em tantas áreas da sociedade são "o debate do Orçamento de Estado" e o facto de se tratar de "ano eleitoral", em que "é natural que os vários setores queiram chamar a atenção dos partidos políticos para aquilo que entendem que é fundamental para o futuro".

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.