Protecção Civil admite falhas "pontuais" do SIRESP em Alijó

| País
Protecção Civil admite falhas pontuais do SIRESP em Alijó

A ver: Protecção Civil admite falhas "pontuais" do SIRESP em Alijó

A Proteção Civil confirma que existiram falhas pontuais na rede do SIRESP durante incêndio em Alijó.

Ainda assim, garante que a comunicação entre os operacionais nunca esteve em causa, porque foram usadas redes complementares.

Em comunicado, a autoridade nacional de Protecção Civil revela que foram registadas algumas intermitências pontuais, para as quais foi de imediato accionada uma estação móvel que já se encontrava preposicionada no Porto.

Lê-se ainda que "as comunicações SIRESP (...) nunca estiveram comprometida, não obstante o plano de comunicações da ANPC prever (...) a interligação entre os vários meios (...) através da Rede Operacional dos Bombeiros".

A Protecção Civil diz ainda que "pré-posicionou também no distrito de Viseu outra estação móvel de comunicações que poderá ser de imediato acionada, caso se justifique(...)".

A informação mais vista

+ Em Foco

Na Grande Entrevista da RTP, o ministro João Matos Fernandes lamentou que os problemas ambientais sejam muitas vezes menorizados.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.