PS expressa "profundo pesar" pela morte de militar português no Mali

| País

O líder parlamentar do PS, Carlos César, expressou hoje "o mais profundo" pesar pela morte do sargento-ajudante Paiva Benido, ao serviço do Exército português, na sequência de um ataque de elementos rebeldes no Mali, no domingo.

"O Grupo Parlamentar do PS, através do líder da bancada, Carlos César, expressa o mais profundo pesar pelo falecimento do sargento-ajudante Gil Fernando Paiva Benido que, ao serviço do Exército português, integrava a Missão da União Europeia no Mali (EUTM)", lê-se no comunicado divulgado pela bancada socialista.

No mesmo comunicado, o Grupo Parlamentar do PS considera que "a morte de um bravo militar português, ao serviço da manutenção da paz e do restabelecimento da integridade territorial do Mali, impõe, a par da compreensível consternação, a expressão de um incondicional reconhecimento e gratidão pelo denodo da sua entrega à missão que o levou ao Mali".

"A justa homenagem ao militar falecido constitui-se, assim, como um imperativo de consciência a que, dolorosamente, nos associamos, curvando-nos perante o sacrifício da sua vida e a sua memória. À sua família, aos seus camaradas de armas, que corajosamente prosseguem no Mali a missão que integrava, e ao Exército Português, que o sargento-ajudante Gil Fernando Paiva Benido tão galhardamente serviu, expressamos as nossas mais sentidas condolências" acrescenta-se na mesma nota da bancada socialista.

O militar português, que morreu no Mali na sequência de um ataque elementos rebeldes no Mali, no domingo, tinha 40 anos, era natural de Valongo e prestava serviço no Comando de Pessoal no Porto, disse à agência Lusa fonte do Exército.

O sargento-ajudante Paiva Benido, casado e com duas filhas menores, integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, composto por 10 elementos.

Uma nota do Exército adianta que o militar morreu "devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes".

Outros militares ficaram feridos, "incluindo um português", que "já se encontra completamente recuperado", refere a mesma nota.

O local onde ocorreu o ataque, Hotel Le Campement Kangaba, "é reconhecido e autorizado pela Missão de Treino no Mali como `Wellfare Center´ para recuperação e repouso entre os períodos de atividade operacional dos militares que prestam serviço naquele país.

A missão da União Europeia no Mali é uma missão de aconselhamento e treino das forças locais. Os militares portugueses, que participam na missão desde 2013, prestam ações de formação em tiro, aconselhamento em matérias relativas à constituição e organização das forças do Mali.

Atualmente, encontram-se nesta missão seis militares do Exército, três da Força Aérea e um da Marinha.

 

Tópicos:

Exército, Gil Paiva Benido, Mali, Treino Mali,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.