PSP de Vila Real regista 0,8% das ocorrências criminais a nível nacional

| País

O comandante distrital da PSP de Vila Real disse hoje que, em 2016, foram registadas 1.341 ocorrências criminais na área de intervenção desta polícia, o que representa 0,8% da criminalidade verificada a nível nacional.

O superintendente Vítor Barros Soares aproveitou o 134.º aniversário do Comando Distrital, que se celebrou hoje, para fazer um balanço da atividade desta polícia, que atua nas cidades de Vila Real e Chaves.

Segundo o responsável, durante o ano passado, foram registadas pelo comando 1.342 ocorrências criminais, o que disse representar "uma ínfima percentagem de 0,8%" das ocorrências verificadas a nível nacional".

"Da análise efetuada podemos concluir que a criminalidade registada neste comando, em 2016, pauta-se por incidir maioritariamente nos crimes contra o património, seguidos pelos crimes contra as pessoas e crimes contra a vida em sociedade", frisou.

Nesse ano foram efetuadas 555 operações de visibilidade policial e 1.850 operações de fiscalização de trânsito.

A PSP de Vila Real deteve 325 pessoas em 2016, mais 13% do quem em 2015, controlou 35.860 veículos por radar, levantou 508 autos de contraordenação por excesso de velocidade, submeteu 7.650 condutores ao teste de alcoolemia e levantou 198 autos de contraordenação por excesso de álcool.

Vítor Barros disse ainda que, no âmbito do combate ao tráfico de estupefacientes, a polícia apreendeu 14.474 doses de droga e elaborou 54 autos de ocorrência por consumo.

O comandante salientou que o comando transmontano está também atento "à nova realidade como o terrorismo internacional" e, por isso, disse que tem sido "efetuado um apertado controlo de explosivos".

Nesse sentido, o núcleo de armas e explosivos e as brigadas de fiscalização efetuaram 64 ações de verificação em todo o distrito, "no sentido de precaver que esta matéria explosiva e seus componentes não sejam desviados para fins diferentes a que se destinam".

No ano passado foram efetuadas 80 fiscalizações a armeiros e a 109 locais de consumo de explosivos (pedreiras, obras de construção civil e explorações agrícolas), tendo sido elaborados 15 autos de notícia por contraordenação.

Foram ainda transferidas para a Direção Nacional da PSP, 203 armas de fogo, 31 armas brancas e 615 munições de diversos calibres.

Vítor Barros afirmou que acue comando se preocupa também com "determinados tipos de delito e de comportamentos antissociais que visam diretamente o cidadão e, como tal, fortemente influenciadores do sentimento de segurança da população".

Por isso, destacou a aposta no policiamento de proximidade e de visibilidade e referiu que, em 2016, foram realizadas 440 ações nas escolas, 204 no comércio seguro e 77 ações de sensibilização sobre armas e explosivos.

O comandante adiantou ainda que, já no primeiro trimestre deste ano, a PSP registou em Vila Real uma diminuição de 22% na criminalidade geral (menos 87 ocorrências), e a criminalidade violenta e grave apresenta um decréscimo de 72% (menos 18 crimes). Dados comparativos com igual período do ano passado.

A festa de aniversário incluiu uma exposição de armas nos claustros do edifício do ex-Governo Civil e uma homenagem ao polícia sinaleiro, reativando, durante algumas horas, um serviço de gestão do tráfego rodoviário.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Em entrevista à RTP, Santana Lopes defendeu que o estado de graça do Governo de esquerda acabou.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.