Supremo Tribunal de Justiça aceitou pedido de libertação imediata de Paulo Guichard

por Antena 1

Reuters

A defesa do antigo braço direito de João Rendeiro no Banco Privado Português alegava que a prisão de Paulo Guichard para cumprimento da pena era ilegal, tendo em conta que ainda está a ser apreciado um recurso e a condenação não transitou em julgado.

É também esse o entendimento, Rita Soares, do Supremo Tribunal de Justiça.
pub