CDS-PP cria fórum para reforma da justiça e adia decisão sobre revisão constitucional

| Política

A presidente do CDS-PP anunciou hoje que o partido irá criar um fórum para a reforma da justiça e avaliará, até final da legislatura, se há ou não condições para avançar com uma revisão constitucional.

No final de uma audiência com o Presidente da República, Assunção Cristas admitiu que, até agora, apenas o PS respondeu, negativamente, ao repto dos democratas-cristãos lançado na semana passada para avançar com um processo de revisão constitucional centrado na área da justiça.

No imediato, o partido vai criar um grupo de trabalho, a que Cristas chamou de fórum para a reforma da justiça, e que será presidido pelo advogado e professor universitário Rui Medeiros, independente, e que chegou a assumir funções como ministro da Modernização Administrativa no segundo Governo de Passos Coelho, que durou menos de um mês.

"Não há neste momento um fim para estes trabalhos (...). No final, faremos a nossa reflexão, ouvindo aquilo que os demais partidos têm a dizer sobre esta matéria. O mais que pode acontecer é avançarem propostas que não impliquem alteração da Constituição", afirmou, defendendo que pelo menos "o trabalho de casa do CDS ficará feito".

Perante a insistência dos jornalistas, Cristas admitiu que este fórum deverá apresentar conclusões até ao final da legislatura, que termina no outono de 2019.

Tópicos:

Medeiros,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.