Governo "devolveu a confiança às pessoas e aos agentes económicos"

| Política

|

O secretário-geral do PS, António Costa, sublinhou esta tarde, em Berlim, que o Governo português, apoiado pelas esquerdas, "apresentou uma alternativa à austeridade, devolvendo a confiança às pessoas e aos agentes económicos."

António Costa participou num debate promovido pelo Partido Social Democrata Alemão (SPD), e relembrou os acordos com PCP, BE e PEV, que formaram uma solução política inédita.

"Há três anos, quando chegámos ao governo com o compromisso de virar a página da austeridade, muitos disseram que isso nos conduziria à irresponsabilidade orçamental. O que fizemos foi apresentar uma alternativa à austeridade, que devolveu a confiança às pessoas e aos agentes económicos", realçou o secretário-geral do PS numa sala completamente cheia.

"O crescimento aumentou - em 2017 tivemos o maior crescimento do PIB deste século - 2,8% - e pela primeira vez desde a adesão ao Euro voltámos a convergir com a União Europeia. O investimento privado aumentou 9%, as exportações aumentaram 8%, o desemprego baixou para 6,8% e reduzimos o défice de 3,1% (2015) para 0,7%, o valor mais baixo da história da nossa democracia. E é esse o caminho que vamos seguir, com saldos primários positivos que nos têm permitido reduzir o elevado endividamento que herdámos", enfatizou António Costa, num discurso proferido em inglês, mas com algumas palavras em alemão.

Nesta iniciativa de dois dias, levada a cabo pelo SPD, António Costa salientou ainda que o governo provou que "esta combinação virtuosa entre crescimento económico e criação de emprego é essencial" para a obtenção de "contas públicas saudáveis".

"Metade do défice foi reduzido graças à redução do que pagávamos em subsídios de desemprego e ao aumento das contribuições para a Segurança Social dos novos empregados", justificou António Costa.

"É graças à redução do défice e da dívida que temos conseguido reduzir o diferencial de financiamento que permite às empresas portuguesas investir, aumentar a sua competitividade, tornando-se mais inovadoras e criando mais e melhores empregos", salientou o secretário-geral do PS.

António Costa aproveitou a oportunidade para agradecer a confiança das empresas alemãs que investem em Portugal.

"A Alemanha é o maior investidor industrial em Portugal. Só nesta última semana duas grandes empresas alemãs, a Siemens e a Volkswagen, anunciaram novos investimentos em Portugal e para emprego altamente qualificado, nas áreas da digitalização e do desenvolvimento de software", adiantou o líder do Partido Socialista.

"Mas, o mais importante", prosseguiu António Costa, foi devolver aos cidadãos "a confiança nas instituições democráticas e a sua crença na União Europeia".

"O nível de satisfação dos Portugueses com as instituições democráticas aumentou de 15%, há cinco anos, para 70% atualmente."

O que significa que a melhor forma de combater o populismo é garantir que há sempre uma alternativa democrática, que apresente resultados", rematou o secretário-geral socialista.

C/Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.