Líder parlamentar do CDS considera que "é pena" se Gonçalves Pereira não continuar vereador

por Lusa

O presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP defendeu hoje que "é pena" se o vereador na Câmara de Lisboa João Gonçalves Pereira "não continuar nessas funções", classificando-o como "um dos grandes autarcas do CDS" no país.

Falando na abertura das jornadas parlamentares do CDS-PP, que decorrem entre hoje e terça-feira em São João da Madeira (distrito de Aveiro), Telmo Correia assinalou a presença do ex-deputado João Gonçalves Pereira, que deixou a Assembleia da República no final de março.

O deputado destacou que o vereador sem pelouros e líder da distrital centrista de Lisboa "deu muito ao grupo parlamentar" e acrescentou que na sua opinião "é um dos grandes autarcas do CDS em todo o país, designadamente na Câmara de Lisboa".

Na ótica de Telmo Correia, João Gonçalves Pereira "fez um trabalho absolutamente notável" na capital e "foi durante muito tempo o rosto da oposição à gestão de Fernando Medina [PS]", o presidente da câmara.

"Na minha opinião, é pena se não continuar nessas mesmas funções, mas isso é a minha opinião, vale o que vale", salientou, defendendo também que "é tempo de cada um" dizer "o que pensa e de o dizer sem receios ou melindres".

"Até porque não tem que haver nenhum melindre nessa matéria", frisou o líder parlamentar, deixando como mote para as jornadas um "debate aberto e livre".

No final de março, o ex-deputado do CDS João Gonçalves Pereira renunciou ao mandato na Assembleia da República e disse esperar que o seu partido lhe permita continuar o "combate local" nas eleições autárquicas.

Na mesma altura, o jornal `online` Observador noticiou a possibilidade de a direção do CDS não indicar o líder da distrital e atual vereador na Câmara de Lisboa na lista candidata como candidato a vereador, mesmo depois de o seu nome ter sido aprovado pela concelhia e pela distrital, juntamente com Diogo Moura e Nuno Rocha Correia.

O CDS-PP apresentou-se às eleições autárquicas em Lisboa integrando uma coligação com PSD, PPM, MPT e Aliança, que é encabeçada pelo social-democrata Carlos Moedas.

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, tem defendido que "só depois" de estabelecido o programa eleitoral da candidatura serão indicados os nomes dos candidatos.

A apresentação pública do programa eleitoral da coligação "Novos tempos" está agendado para quarta-feira.

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

Tópicos
pub