Marcelo promulga um dia de luto nacional na terça-feira e cancela agenda

| Política

O Presidente da República vai promulgar hoje o decreto do que declara um dia de luto nacional em memória do antigo ministro António Arnaut, na terça-feira, e cancelou a sua agenda nesse dia de manhã.

Esta informação consta de uma nota hoje publicada no portal da Presidência da República, na qual se lê que Marcelo Rebelo de Sousa "aceitou a iniciativa do primeiro-ministro de decretar um dia de luto nacional" pela morte de António Arnaut.

Segundo a mesma nota, "o decreto do Governo que declara luto nacional no dia 22 de maio será assinado ainda hoje" e "a deslocação presidencial a Évora amanhã [terça-feira] foi cancelada".

O antigo ministro dos Assuntos Sociais António Arnaut, considerado o "pai" do Serviço Nacional de Saúde (SNS), fundador do PS, do qual era presidente honorário, morreu hoje, em Coimbra, aos 82 anos.

Marcelo Rebelo de Sousa tinha previsto ir a Évora na terça-feira ao fim da manhã, para uma visita à fábrica da construtora aeronáutica Embraer e para o encerramento do 15.º Encontro Nacional de Inovação da organização empresarial Cotec.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.