Portugal ausente na tomada de posse de Nicolás Maduro

| Política

A UE não reconheceu os resultados das eleições de maio de 2018, nas quais Maduro reclamou a vitória
|

Portugal não estará representado na tomada de posse do novo mandato do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na quinta-feira, revelou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

"Tivemos uma troca de opiniões hoje de manhã, no quadro do grupo de trabalho para a América Latina [da União Europeia], e isso vai permitir a Portugal formar a sua decisão, sendo certo que tornamos público que não estaremos representados a nível político na tomada de posse do Presidente Nicolás Maduro", disse Augusto Santos Silva.

O ministro falava após o seminário sobre Cooperação, Cultura e Língua, promovido pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, em Lisboa.

A eventual presença de Portugal e de outros Estados-membros da União Europeia (UE) na tomada de posse de Nicolás Maduro perante o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela foi hoje analisada no seio da UE, em Bruxelas, em reunião na qual estiveram os chefes da diplomacia ou seus representantes, destinada a concertarem posições.

A UE não reconheceu os resultados das eleições de maio de 2018, nas quais Maduro reclamou a vitória, e, no final desse ano, prorrogou por mais um ano e aumentou as sanções à Venezuela.

Essas sanções tinham sido aplicadas em novembro de 2017, com o embargo de venda de armas e material que pudesse ser usado para a repressão na Venezuela.

A Assembleia Nacional da Venezuela, na qual a oposição tem maioria, não reconheceu o segundo mandato do atual Presidente, posição igualmente assumida por países vizinhos da Venezuela, onde reside uma numerosa comunidade de portugueses e lusodescendentes.

Tópicos:

Latina [da, Nicolás Maduro,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Festa dos Tabuleiros regressa às ruas da cidade de Tomar. Um longo desfile em que 750 tabuleiros são transportados por mulheres.

    Os líderes europeus não chegaram a acordo sobre quem deve liderar a União nos próximos cinco anos.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.