"Uma campanha muito pouco imaginativa" e dirigida às televisões

por Antena 1

SIM/DR

Esta sexta-feira é o último dia de campanha para eleger uma nova composição do Parlamento. Os partidos desdobram-se em arruadas, feiras e comícios para apresentarem as ideias de governação.

No entender do sociólogo e investigador de comunicação do ISCTE Gustavo Cardoso, esta campanha pecou por falta de criatividade.

O investigador diz que o formato ainda está muito colado às campanhas anteriores e muito virado para a imagem que as televisões passam dos candidatos.
pub