Joana Barbosa e Sofia Mouta, a dupla feminina que quer "chegar ao fim"

| Rali de Portugal

Joana Barbosa em ação
|

Joana Barbosa e Sofia Mouta (Ford Fiesta R2) são a única dupla feminina portuguesa na edição de 2017 do Rali de Portugal, para o qual partem hoje com o único objetivo de chegar ao fim.

De regresso ao calendário nacional, o Rali de Portugal tem este ano mais pilotos portugueses do que nos últimos anos, dos quais se destaca uma dupla feminina, em estreia na prova, e que se sente "especial", não por ser formada por mulheres, mas por ser "especial participar num rali mítico como é o Rali de Portugal", diz Joana Barbosa.

Filha de Adriano Barbosa, um antigo campeão nacional de velocidade, a piloto de Braga não escondeu que espera "um rali longo, duro e difícil", tendo como principal desafio "chegar ao fim", acrescentou.

A inexperiência da dupla em ralis de terra é uma dificuldade acrescida.

"Se para a Joana é apenas o segundo rali em terra, para mim é apenas o terceiro", adiantou Sofia Mouta, naquele que é o seu regresso às origens como navegadora, onde confessa, prefere estar: "É no papel de navegadora que gosto de estar. Prefiro 'navegar' do que conduzir".

Em estreia esta temporada no Campeonato Nacional de Ralis, a dupla bracarense procura no Rali de Portugal subir mais um degrau no entrosamento entre piloto e navegadora.

"Já temos alguns ralis em conjunto, estamos a evoluir quilómetro a quilómetro e a empatia vai surgindo, cada vez mais. Há um conhecimento que evolui, em especial pela forma como a Sofia se vai apercebendo da forma como conduzo", frisou a piloto.

Única dupla feminina portuguesa em prova no Rali de Portugal, sentem-se "olhadas de uma forma diferente", segundo Joana Barbosa, mas igualmente com simpatia, como atestou a sua navegadora.

"Também sentimos o contrário, que o público tem um carinho especial por nós, que quer estar próximo, e que nos apoia muito na estrada", sublinhou Sofia Mouta.

Com o número 97 na porta do Ford Fiesta, são as penúltimas na ordem de saída para os dois primeiros dias do Rali de Portugal, que hoje começa com a superespecial de Lousada.

Nestas duas jornadas, a 'fechar' a estrada vai estar a outra dupla feminina em prova, formada pela alemã Edith Weiss e pela dinamarquesa Jeanett Kvick, em Peugeot 208 R2.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.