Rali de Portugal: Neuville aumenta vantagem sobre Evans na secção matinal

| Rali de Portugal

|

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20) praticamente duplicou sábado a vantagem sobre o britânico Elfyn Evans (Ford Fiesta) no Rali de Portugal, após as três primeiras especiais do terceiro dia da sexta prova do Mundial.

Após 12 provas troços cronometrados, o segundo classificado do Mundial de pilotos lidera a prova portuguesa com 29,9 segundos de diferença sobre Evans, que era de 17,7 à partida para as primeiras passagens pelas classificativas de Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto e Amarante.

Neuville optou por gerir a vantagem e os pneus nas duas primeiras provas especiais de classificação e atacou na última, a mais longa da prova, conquistando 17,2 segundos ao britânico.

Evans tem sido o seu principal rival no rali luso, depois da ‘razia’ de desistências que, na sexta-feira, afastou, entre outros, o francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta), pentacampeão do mundo e líder do Mundial, e o estónio Ott Tänak (Toyota Yaris). Em terceiro lugar segue o espanhol e seu companheiro de equipa Dani Sordo, a 34,9 segundos.

“Fizemos algumas mudanças antes da etapa e, claramente, esta especial é um pouco escorregadia, pelo que decidi acelerar. Parece que fiz um bom tempo, mas vai ser difícil durante a tarde”, referiu Neuville, segundo do Mundial de pilotos a 10 pontos de Ogier.

Os finlandeses Teemu Suninen (Ford Fiesta) e Esapekka Lappi (Toyota Yaris) seguem na quarta e quinta posições, respetivamente, a praticamente um minuto de Neuville.

Também no troço de Amarante, o britânico Kris Meeke (Citroën C3) despistou-se e ficou fora da prova, quando já estava a mais de um minuto e meio da liderança. Segundo a marca francesa, o acidente não teve consequências físicas para o vencedor do Rali de Portugal em 2016.

O finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris), que tal como Ogier e o norueguês Andreas Mikkelsen (Hyundai i20) prossegue em prova como Rali 2, foi o mais rápido na primeira passagem por Vieira do Minho, enquanto Evans dominou o troço de Cabeceiras de Basto, conseguindo uma aproximação entretanto anulada por Neuville.

“Está tudo bem. Eu podia dizer que não estava, mas não sei o que fazer para mudar. Não tive qualquer tração na segunda parte da especial”, lamentou Evans, após concluir o troço de Amarante.

Na secção da tarde da prova portuguesa, os pilotos vão voltar a percorrer, a partir das 15:08, os troços de Vieira do Minho (17,5 km), Cabeceiras de Basto (22,22 km) e Amarante (37,6 km).

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.