Rali de Portugal. Sordo lidera após quatro especiais

| Rali de Portugal

Dani Sordo é para já o mais rápido no Rali de Portugal
|

O espanhol Dani Sordo (Hyundai i20) assumiu a liderança da 52.ª edição do Rali de Portugal, após a quarta classificativa da sexta prova do Mundial e do abandono de dois pilotos da Toyota.

O cantábrio foi o mais rápido na primeira passagem pelo troço de Ponte de Lima (27,54 km) e terminou a secção matinal com 4,6 segundos de vantagem sobre o britânico Kris Meeke (Citroën C3), que chegou a liderar a prova, que venceu em 2016.

"Puxei como tudo, não cometi nenhum erro e com esta estrada não podia ter feito muito melhor. Estou feliz, foi um bom tempo, mas próximo dos restantes", referiu Sordo, quinto do Mundial.

Sordo foi o terceiro líder do primeiro dia da prova, depois de Meeke, que venceu a classificativa de Caminha (18,11 km), e do neozelandês Hayden Paddon (Hyundai i20), o mais rápido na especial de Viana do Castelo (26,73 km), onde o estónio Ott Tänak (Toyota Yaris), que partiu esta sexta-feira na liderança, foi forçado a abandonar.

O recente vencedor do Rali da Argentina e terceiro do Mundial deparou-se com um sobreaquecimento do óleo do seu Yaris, após embater com uma pedra, logo na primeira especial do dia, antes de o finlandês e seu companheiro de equipa Jari-Mati Latvala também ter abandonado, por ter partido a suspensão dianteira do seu Toyota, já em Ponte de Lima.

O outro piloto da marca nipónica, o também finlandês Esapekka Lappi, também sentiu dificuldades durante a manhã, quedando-se pelo 11.º lugar, a 26 segundos de Sordo.

O francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta) terminou as quatro especiais na quarta posição, a 7,3 segundos de Sordo, e atrás de Paddon, que ocupa o terceiro posto, a 4,8.

"Estou bastante satisfeito com a nossa condução esta manhã, mas o tempo perdido é o esperado", referiu o pentacampeão do mundo.

Ogier procura o seu sexto triunfo no rali português e defende os 10 pontos de avanço no Mundial sobre o belga Thierry Neuville (Hyundai i20), que terminou a secção na quinta posição, a 9,4 do líder, depois de ter assumido o risco de 'perseguir' o rival.

"Está a ser realmente difícil fazer as curvas no carro, estou a batalhar com isso. É difícil andar mais rápido do que Ogier, mas eu estou a tentar", sublinhou Neuville.

A partir das 15:25, Ogier volta a ser o primeiro a partir para nova passagem pelos troços de Viana do Castelo, Caminha e Ponte de Lima, antes da "Porto Street Stage", marcada para as 19:03.

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.