Rali de Portugal. Tänak defende curta vantagem

| Rali de Portugal

Ott Tänak, em Toyota Yaris, sai em primeiro para a estrada no segundo dia
|

O estónio Ott Tänak (Toyota Yaris) parte esta sexta-feira na liderança para o segundo dia da 52.ª edição do Rali de Portugal, sexta prova do campeonato do mundo, depois de ter vencido a superespecial de Lousada, na quinta-feira.

O recente vencedor do Rali da Argentina e terceiro no Mundial vai partir para a primeira das oito especiais de classificação com 0,4 segundos de vantagem sobre o finlandês Teemu Suninen e o francês Sébastien Ogier, que lidera o campeonato e procura o sexto triunfo em Portugal.

Ogier, pentacampeão do mundo, vai ser o primeiro a partir para as seis classificativas no Alto Minho e para a "Porto Street Stage", com a ingrata tarefa de limpar a estrada para os seus principais perseguidores no campeonato, caso do belga Thierry Neuville (Hyundai i20) e Tänak, enquanto Suninen vai ser o 13.º e penúltimo WRC a enfrentar os troços.

No dia seguinte ao arranque na pista de ralicrosse de Lousada, a 52.ª edição do Rali de Portugal prossegue com oito classificativas, a disputar a partir das 9h15, com duplas passagens pelas especiais de Viana do Castelo (26,73 km), Caminha (18,11 km) e Ponte de Lima (27,54 km), antes da 'Porto Street Stage' (1,95 km), que regressa ao percurso depois de o troço citadino ter sido disputado em Braga no ano passado.

Joaquim Alves vai defender o estatuto de português mais rápido, depois de ter sido 28.º em Lousada, uma liderança 'presa' por uma décima de segundo sobre Pedro Meireles (29.º), que também conduz um Skoda Fabia R5.

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.