Marcelo recusa Exército Europeu proposto por Macron

| Europa
Marcelo recusa Exército Europeu proposto por Macron

Foto: António Cotrim - Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recusou um exército Europeu proposto por Emmanuel Macron.

Esta tarde, à chegada a Paris, para as comemorações dos 100 anos da assinatura da paz do fim da primeira Guerra Mundial, no consulado português, o chefe de Estado pronunciou-se sobre a ideia com Emmanuel Macron.

O Presidente francês defendeu a criação de um exército Europeu, que atue à margem da Nato, para combater situações humanitárias, o que levou, de resto, a um tweet furioso de Donald Trump ainda a caminho de Paris.


"Ficou claro no debate parlamentar (em Portugal) que não se trata de um exército europeu, trata-se, sim, de um reforço do empenho, e um empenho que é complementar daquele que é traduzido pela Aliança Atlântica dos europeus no cenário europeu e nos cenários vizinhos", acrescentou. 

O parlamento aprovou, em dezembro do ano passado, três resoluções, do PS, PSD e CDS, a recomendar a adesão de Portugal à cooperação estruturada permanente de defesa e segurança (PESCO, na sigla original), formalizada por Bruxelas a 11 de dezembro de 2018, e explicitando a recusa de que este mecanismo evolua para a criação de um exército europeu.


A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.