“Coletes amarelos”. Macron diz que jamais aceitará a violência

por Antena 1

Foto: Stephane Mahe - Reuters

Os confrontos entre os “coletes amarelos” e as forças policiais, em Paris, já levaram a que mais de 400 pessoas fossem interrogadas e 378 ficassem detidas. Outras 133 pessoas ficaram feridas, das quais 23 são polícias. O caos vivido na capital francesa levou o Governo francês a agendar para este domingo uma reunião de emergência e Emmanuel Macron garantiu que “jamais” aceitará a violência.

“Respeitarei sempre a contestação, entenderei sempre as oposições, mas jamais aceitarei a violência”, declarou Macron. “Os responsáveis por esta violência não querem mudança, não querem nenhuma melhoria, querem o caos. Eles serão identificados e responsabilizados pelos seus atos na justiça”.

Ainda na cimeira do G20, na Argentina, Emmanuel Macron convocou o executivo para uma reunião de emergência este domingo, para analisar os acontecimentos ocorridos. O primeiro-ministro francês, Edouard Philipe, que estava de partida para a cimeira do clima, na Polónia, teve mesmo de adiar a viagem.

Os protestos dos “coletes amarelos” para exigir melhores condições de vida derraparam para um cenário de violência e de destruição no centro de Paris no sábado, com dezenas de carros incendiados e montras partidas.

O Ministério francês do Interior garante que estiveram nas ruas cerca de 75 mil manifestantes e que, entre os detidos, há elementos de grupos da extrema-direita e da extrema-esquerda, que se terão infiltrado no protesto com o objetivo de provocar confrontos e atos de vandalismo.