UE lamenta chumbo do Brexit. Adiamento em cima da mesa

por RTP
União Europeia admite avaliar adiamento do Brexit Vincent Kessler - Reuters

A União Europeia ficou dececionada com o chumbo do Acordo de Saída do Brexit no Parlamento britânico. Em comunicado, os 27 adiantam que estão disponíveis para considerar um adiamento da saída do Reino Unido. Depende dos motivos apresentados por Londres.

"Lamentamos o desfecho da votação de hoje e estamos dececionados por o Governo britânico não ter conseguido assegurar a maioria necessária para aprovar o Acordo de Saída firmado entre as partes em novembro", lê-se num comunicado da Comissão Europeia e do Conselho Europeu.O Parlamento britânico discute e vota esta quarta-feira a rejeição de uma saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo, um dia depois de novo chumbo ao entendimento negociado com Bruxelas.


Nesse documento, a União Europeia diz que fez "tudo o que podia para ajudar a primeira-ministra a garantir que o Acordo - que ela negociou e firmou com a UE - fosse ratificado". "Dadas as garantias adicionais proporcionadas pela UE em dezembro, em janeiro e ontem, não há mais que possamos fazer. Se há uma solução para este impasse, esta terá de ser encontrada em Londres".

Nesta nota, divulgada em nome do presidente do executivo comunitário, Jean-Claude Juncker, e do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, a UE mantém o apoio ao Acordo de Saída, "incluindo o backstop, que serve para evitar uma fronteira física na ilha da Irlanda e preservar a integridade do mercado único, a menos que e até que soluções alternativas possam ser encontradas".

Já numa publicação no Twiter, Juncker escreveu que o acordo "dá todas as clarificações e garantias legais" relacionadas com o backstop. "A escolha é clara", acrescenta, "este é o acordo, ou o Brexit pode não acontecer. Vamos levar a saída do Reino Unido a uma saída organizada. Devemos isso à história".

 

União preparada para todos os cenários


"A apenas 17 dias de 29 de março, o resultado de hoje aumentou significativamente a probabilidade de um não acordo ou da inexistência de Brexit. Pela nossa parte, a UE prosseguirá com os preparativos para um não acordo e assegurará que está preparada para todos os cenários", acrescenta diz o comunicado.

Um dos cenários possíveis passa por "considerar e decidir por unanimidade" um eventual adiamento do Brexit, caso o Reino Unido apresente "um pedido fundamentado". "Os 27 decidirão dando prioridade à necessidade de assegurar o funcionamento das instituições europeias e tendo em conta as razões para o adiamento e a duração da possível extensão".

O parlamento britânico voltou esta terça-feira a chumbar o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE), com 391 votos contra e 242 votos a favor.Solução cabe ao Reino Unido
Na rede social Twitter, também o Michel Barnier, principal negociador da UE para o Brexit, defendeu que a União Europeia fez tudo o que podia para que o acordo fosse aprovado.

Escreveu Barnier que "a UE fez tudo o que estava ao seu alcance para ajudar à aprovação do Acordo de Saída" e que o "impasse [do Brexit] só pode ser resolvido no Reino Unido".

Para logo acrescentar que "os nossos planos de contingência para um não acordo são mais importantes do que nunca".
c/ Lusa
Tópicos