Portugal presente no Campeonato Mundial de Robótica - RoboCup 2018.

| Tecnologia

|

Mais de trinta alunos de escolas e universidades portuguesas estão em Montreal, no Canadá, a defender as cores lusas no Campeonato Mundial de Robótica - RoboCup 2018.

Mais de trinta alunos de escolas e universidades portuguesas estão em Montreal, no Canadá, a defender as cores lusas no Campeonato Mundial de Robótica - RoboCup 2018.

De 18 a 22 de junho a comitiva portuguesa, composta por alunos, professores e investigadores e mais de duas dezenas de robôs, vai competir nas diversas ligas do RoboCup.

Este ano o RoboCup reúne em Montreal mais de 4 mil participantes, de mais de 35 países, entre os quais alguns dos maiores especialistas internacionais na área da robótica e inteligência artificial (IA).

Nesta competição estão à prova as capacidades de construção e programação de 5 mil robôs, distribuídos pelas diversas ligas, para que possam jogar futebol, ou enfrentar desafios de busca e salvamento, ou
cumprir tarefas domésticas de uma forma completamente autónoma.

As equipas portuguesas são compostas por jovens talentos das escolas básicas, secundárias e profissionais e universidades que conseguiram o seu apuramento no Festival Nacional de Robótica, no passado mês de
abril.

Entre as escolas participantes estão o Agrupamento de Escolas de Amares, Agrupamento de Escolas de S. Gonçalo, Torres Vedras, Escola Secundária de Barcelinhos, de Barcelos e Escola Profissional CENFIM, de
Oliveira de Azeméis. Entre as universidades participantes figuram as Universidades de Aveiro, Lisboa, Minho e Porto.

Distribuídos por várias categorias, os alunos terão de programar os seus robôs para cumprir missões de busca e salvamento, seguindo uma pista marcada por uma linha ou percorrendo um labirinto a explorar
mundos reais ou virtuais, em busca de “vítimas”, que são resgatadas para um local “seguro”. Outros robôs foram construídos e programados para jogar futebol, disputar a bola com robôs adversários e marcar
golos. Aqui também não faltam os dribles e as táticas de jogo, embora realizados com motores, rodas e sensores. Há ainda uma outra categoria de robôs que são construídos e programados para executar uma
coreografia em palco, comunicando entre si e interagindo com humanos, através de sensores. Os robôs domésticos interagem com humanos e manipulam objetos de um apartamento real, com divisões e
mobília.

As equipas das escolas e universidades portuguesas têm-se destacado nos últimos anos, arrecadando vários primeiros prémios e colocando-se sempre entre os favoritos em muitas das ligas que disputam. A
lista de equipas premiadas é longa e pode ser consultada aqui: http://robocupportugal.sprobotica.pt/awarded_teams.html.

A participação dos alunos das instituições portuguesas neste tipo de eventos internacionais é uma oportunidade única para estes jovens desenvolverem competências técnicas e científicas essenciais para a
sua formação, bem como fazer progredir a investigação internacional em IA e Robótica.

No momento em que os olhos dos portugueses estão postos na seleção nacional de futebol que participa no Campeonato do Mundo na Rússia, outro campeonato do mundo com representação nacional decorre
do outro lado do Atlântico e promete também grandes sucessos.

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.