Primeira acoplagem espacial foi feita pelos russos há 50 anos

| Tecnologia

|

Faz hoje, dia 16 de janeiro, 50 anos que pela primeira vez dois veículos espaciais se juntaram no espaço. A proeza foi realizada pela Rússia, acoplando em órbita duas Soyuz (4 e 5).

Lançadas no dia 14 de janeiro de 1969, as duas tripulações das naves Soyuz 4 (Vladimir Shatalov) e Soyuz 5 (Boris Volynov, Aleksei Yeliseyev e Yevgeny Khrunov) tinham como missão principal acoplar os dois veículos espaciais e regressar à Terra.

Da esquerda para a direita: Yeliseyev, Khrunov, Shatalov e Volynov. Creditos:SpaceFacts.de/DR

Após a missão Aleksei Yeliseyev e Yevgeny Khrunov e Vladimir Shatalov regressaram à Terra em segurança a bordo da Soyuz 4. Mas o cosmonauta Boris Volynov, na Soyuz 5, o módulo de serviço da Soyuz 5, não conseguiu separar-se do módulo de descida e a nave ficou virada de cabeça para baixo.A experiência pioneira também incluiu pesquisa científica, médica, testes dos sistemas da nave, rendez-vous, acoplamento, testes para construção de uma estação espacial, que mais tarde daria origem à MIR, e transferência de um dos elementos da tripulação. A atividade extra-veicular (EVA) teve a duração de 1 hora. As naves permaneceram acopladas durante 4 horas e 35 minutos.

Nesta aventura espacial os cosmonautas Aleksei Yeliseyev e Yevgeny Khrunov , que tinham subido a bordo da Soyuz 5 sairam da nave russa e entraram na Soyuz 4, deixando sozinho o comandante Boris Volynov na nave que os levou até à órbita terrestre.


Fonte: Retro Space HD/YouTube/DR

Aleksei Yeliseyev e Yevgeny Khrunov juntavam-se assim a bordo ao cosmonauta Vladimir Shatalov, tendo estes três elementos regressado em segurança a bordo da Soyuz 4. O mesmo não se pode dizer relativamente ao cosmonauta Boris Volynov.

Durante a reentrada, o módulo de serviço da Soyuz 5 não conseguiu separar-se do módulo de descida e a nave ficou virada de cabeça para baixo. A ajudar a confusão, os pára-quedas e os retro propulsores de aterragem falharam. Boris Volynov, sobreviveu milagrosamente ao acidente, mas perdeu alguns dentes.

Tópicos:

Rússia, Soyuz, acoplagem, órbita, Roscomos,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi há 50 anos que o Homem partiu para a Lua. De Cabo Canaveral, nos EUA, seguiram três astronautas para colocar os nomes na história da humanidade.

Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.