Terceira etapa da Volta com percurso montanhoso entre Figueira de Castelo Rodrigo e Bragança

| Volta a Portugal

|

A terceira etapa da 79.ª Volta a Portugal em bicicleta vai ligar Figueira de Castelo Rodrigo a Bragança, num percurso "extremamente sinuoso", de 170 quilómetros, anunciou hoje a organização.

"O calor e a travessia da Serra de Bornes [onde estará instalada uma contagem de segunda categoria] serão os principais obstáculos desta etapa. As primeiras dificuldades registar-se-ão logo no primeiro terço do percurso, com a passagem em Vila Nova de Foz Coa e Torre de Moncorvo, onde estarão instalados dois prémios de montanha de terceira categoria", analisou o diretor da Volta, citado em comunicado.

Para Joaquim Gomes, a última seleção no lote de candidatos à vitória será feita já em Bragança. "Provavelmente será um pelotão muito fracionado que vai chegar ao final de etapa na Avenida D. Sancho I", anteviu.

No historial de inícios e chegadas da Volta a Portugal, Figueira de Castelo Rodrigo, que no ano passado regressou ao percurso da prova rainha do calendário velocipédico nacional, conta já com nove participações, seis das quais como ponto de partida.

Por outro lado, Bragança acolherá, pela 17.ª vez no historial da prova que este ano festeja 90 anos, uma chegada. Já em 1927, aquando da realização da primeira Volta a Portugal, a cidade foi escolhida para acolher uma meta.

A 79.ª Volta a Portugal em bicicleta vai percorrer as estradas nacionais, entre 04 e 15 de agosto, com o português Rui Vinhas (W52-FC Porto) como campeão em título.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.