Volta a Portugal: Segundo triunfo consecutivo para Raúl Alarcón

| Volta a Portugal

O ciclista da W52-FC Porto foi terceiro na última etapa, um contrarrelógio em Fafe.
|

O ciclista espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto) conquistou hoje a segunda Volta a Portugal, ao ser terceiro na 10.ª e última etapa, um contrarrelógio em Fafe, ganho pelo espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano).

O ciclista de Alicante, de 32 anos, terá ao seu lado no pódio da 80.ª edição da Volta com o português Jóni Brandão (Sporting-Tavira) e García de Mateos.

O contrarrelógio final de 17,3 quilómetros foi ganho pelo espanhol do Aviludo-Louletano, em 25.17 minutos, menos 21 segundos do que o português João Rodrigues (W52-FC Porto) e 34 do que Alarcón.

Depois de o português Rafael Reis (Caja Rural) ter vencido o prólogo em Setúbal, Raúl Alarcón ‘roubou’ a amarela ao ex-colega de equipa na terceira etapa, em Oliveira do Hospital, não voltando a despi-la.

Alarcón terminou os 1.578,9 quilómetros em 41:15.32 horas menos 1.03 do que Brandão e 1.14 do que De Mateos, que repete o terceiro lugar de 2017.

Vencedor de três etapas – depois de Oliveira do Hospital ainda venceu nas Penhas da Saúde (quarta) e na Senhora da Graça (nona) - Alarcón deu a sexta vitória seguida na Volta a Portugal à equipa de Sobrado, Valongo, sucedendo ao português Rui Vinhas, e aos espanhóis Gustavo Veloso, vencedor de duas edições, e Alejandro Marque.

O corredor 'azul e branco', vencedor este ano da Volta às Astúrias, garantiu a 23.ª vitória de um estrangeiro na prova, desde que o belga Tony Houbrechts se tornou o primeiro não português a ganhar, em 1967.

Alarcón contribuiu ainda para a vitória coletiva da W52-FC Porto, que ultrapassou hoje o Sporting-Tavira no topo da classificação por equipas, depois de os 'leões' terem entrado para o contrarrelógio com dois segundos de avanço.

Além da amarela, Alarcón leva ainda para casa a camisola azul, do prémio da montanha, com De Mateos a conquistar a verde, de vencedor da classificação por pontos, enquanto o espanhol Xuban Errazkin (Vito-Feirense-Blackjack) ficou com a camisola branca, de melhor jovem.

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.