Ouvir
Informação de Desporto
Em Direto
Informação de Desporto Simultâneo Antena 1

ANG - Clube 1º de Agosto destrona Académica em hóquei em patins

ANG - Clube 1º de Agosto destrona Académica em hóquei em patins

Fonte:
"Jornal de Angola"

Texto:Anaximandro Magalhães
Fotografia: Miqueias Machangongo

Regressado à elite do hóquei em patins em 2010, o 1.º de Agosto precisou de cinco anos para voltar a erguer, pela segunda vez no seu historial, a taça de campeão nacional sénior masculino de hóquei em patins, em trinta e sete edições da prova.

Depois de 27 anos, pois o primeiro campeonato foi ganho em 1988, sob a batuta do angolano Cândido Teles, os militares materializaram o objectivo assumido aquando do retorno da modalidade ao Clube Central das Forças Armadas Angolanas, numa aposta da actual direcção presidida por Carlos Hendrick.

Sem ter arrogado qualquer discurso publicamente com este teor, o técnico português, António Gaspar, um dos principais responsáveis, a par dos jogadores, pela conquista, festejou com os artífices a glorificação com o sentimento de sabor à desforra, pois o ano passado, diante do mesmo adversário, Académica de Luanda, havia perdido o título após partida de finalíssima, marcada para desempatar o 2-2 registado na final, a melhor de cinco jogos.
Os rubro e negros desforraram-se, no Pavilhão Anexo I da Cidadela Desportiva, de modo categórico e convincente do desaire do ano passado, vergando os vianenses na final dos "play-off" por três a zero (4-2,1-0,2-0), após marcação de grandes penalidades, dando-se ao luxo de dispensar os outros dois encontros reservados pelo calendário.

Outra das motivações de “vingança” dos agostinos foi a perda, por 3-5, na final da Taça de Angola, a segunda maior competição do calendário de provas da Federação Angolana de Patinagem, apenas superada pelo Campeonato Nacional.

A aposta nas contratações dos internacionais angolanos, Paizinho, Quiza, os irmãos gémeos Rui Miguel e Rui André, mesclados com os calejados Mamíkua e Zé das Botas, encurtou o trilho rumo ao alcance do sonho há muito ambicionado, e desfeiteou os intentos do técnico da Académica, o brasileiro Jurandir Silva “Didi”, e pupilos, cujo destaque maior recai para o veterano Toy Adão, 42 anos, assim como as presenças de Big e Martin Payero.

Coroado, Gaspar viu o esforço do seu trabalho ser recompensando com a aquisição do troféu de melhor marcador, por parte do avançado Anderson Silva “Nery”, com 25 golos, marcados desde a fase regular até á final da prova.

O Sagrado Coração de Jesus foi a surpresa do nacional, ao ocupar a terceira posição, após vergar o papão da modalidade, Petro de Luanda, com 11 títulos. Os tricolores ficaram em quarto. O quinto lugar foi ocupado pelo Comité Desportivo do Estado Maior, a sexta pelo Comité Desportivo do Exército. Em sétimo quedou-se a Académica do Lobito e em oitavo e último o Hóquei 2000.