Ouvir
A Hora das Cigarras
Em Direto
A Hora das Cigarras

Português falado em todo o mundo pesou na decisão da escolha de Lisboa -- Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente português expressou uma "alegria incontida" com a escolha de Lisboa para acolher as próximas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), destacando que a língua portuguesa falada em todo o mundo pesou na decisão.

Português falado em todo o mundo pesou na decisão da escolha de Lisboa -- Marcelo Rebelo de Sousa

 

"É uma alegria incontida e é começar a sonhar já e a projetar já o que se vai passar daqui a três anos e meio", disse à agência Lusa Marcelo Rebelo de Sousa, na Cidade do Panamá, para onde se deslocou a convite do seu homólogo panamiano para as JMJ que hoje terminam.

o Vaticano, anunciou hoje, na missa de encerramento das JMJ, na Cidade do Panamá, que é Lisboa a próxima cidade a acolher aquele que é considerado o maior evento organizado pela Igreja Católica.

"Acho que nós conseguimos, conseguimos todos, conseguimos nós portugueses, conseguiram naturalmente os católicos de Portugal, conseguiram os bispos católicos, conseguiu D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, mas conseguimos nós todos como povo e conseguimos nós que falamos português", assinalou o chefe de Estado.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "foi muito importante um argumento essencial para esta decisão, o ser um país que pudesse abrir para vários continentes e, nomeadamente, para África, porque é o único continente que ainda não teve as Jornadas Mundiais da Juventude".

"E entendeu-se -- e bem - que Portugal, além de abrir para o continente americano e, obviamente, abrir para a Europa, abria para África, para a que fala português muitíssimo, e que vamos reunir em Lisboa, para aquela que não fala, mas também vai vir até Lisboa", adiantou.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, Portugal ser o segundo país lusófono a receber as JMJ depois do Brasil, em 2013, "é o reconhecimento do peso da lusofonia, do mundo que fala português".

"E, ao mesmo tempo, o peso de Portugal, o peso de Fátima, o peso do povo católico português", declarou o Presidente português, para acrescentar: "Mas eu não escondo que a lusofonia e o falar-se português e o estar-se presente em todos os continentes em todo o mundo pesou na luta que foi muito difícil com outros candidatos a estas jornadas de 2022".

As JMJ são um encontro de jovens de todo o mundo com o papa, num ambiente festivo, religioso e cultural, que mostra o dinamismo da Igreja Católica.