Local

Açores: esperam-se ventos de 150 quilómetros no grupo oriental

O Instituto de Meteorologia (IM) emitiu esta tarde um "aviso de furacão" para os Açores, explicando que a tempestade tropical "Gordon" se intensificou durante as últimas horas.

Açores: esperam-se ventos de 150 quilómetros no grupo oriental


"A tempestade tropical Gordon intensificou-se durante as últimas horas e prevê-se que entre no setor sudoeste da região marítima dos Açores pelas 12:00 de domingo 19 de agosto como furacão de categoria I (escala de Saffir-Simpson)", refere o IM em comunicado.

O furacão seguirá "depois na direção nordeste e atingindo a região do Grupo Oriental pelas 00:00 de segunda-feira 20, afetando as ilhas de São Miguel e Santa Maria".

Nesta zona "estão previstos ventos médios de 110 km/h com rajadas até 150 km/h, precipitação intensa e ondas entre 14 e 16 metros", avança ainda o IM.

O IM emitiu entretanto avisos "vermelhos", o que significa maior gravidade, para o Grupo Oriental relativamente à agitação marítima e ao vento para domingo e segunda-feira, enquanto para a precipitação e a trovoada o aviso é "laranja".

Para o Grupo Central o IM emitiu aviso "amarelo" para a precipitação, agitação marítima e vento, não havendo qualquer aviso para o Grupo Ocidental do arquipélago.

Ao início da manhã de hoje, a tempestade estava a 1.300 quilómetros dos Açores.

Entretanto, o presidente do Governo dos Açores, Carlos César, nomeou hoje o diretor regional da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Paulo Meneses, para coordenar as operações dos serviços oficiais em Santa Maria na sequência da passagem da tempestade tropical Gordon.

Paulo Meneses, segundo disse à Lusa fonte oficial, vai coordenar de forma direta e presencial os serviços dependentes do executivo regional em Santa Maria, mantendo-se em funções até terça-feira.

A nomeação de um coordenador pretende assegurar a capacidade operacional face a eventuais necessidades de intervenção que venham a ser necessárias na sequência do agravamento do estado do tempo previsto para os próximos dias.

Carlos César reúne-se ainda hoje em Ponta Delgada com vários membros do executivo regional para analisar as possíveis consequências da passagem do "Gordon" pelo arquipélago e preparar as necessárias respostas.

Lusa