Estreias  

Realismo de raiz colombiana

Conhecíamos Ciro Guerra através de "O Abraço da Serpente" (2015). Agora, repartindo a realização com Cristina Gallego, o cineasta colombiano evoca a guerra das drogas ao longo das décadas de 1960/70.

Realismo de raiz colombiana
"Pássaros de Verão": retrato de uma cultura indígena em decomposição
Crítica de
Subscrição das suas críticas
135
Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Realismo de raiz colombiana
Pássaros de Verão Nos anos 70, quando a juventude americana se entrega à cultura hippie, a loucura da marijuana chega à Colômbia, transformando rapidamente agricultores em calejados empresários. No deserto de Guajira, uma família indígena Wayuu assume um papel de vanguarda neste novo empreendimento e descobre as vantagens da riqueza e do poder. Mas neste misto de ganância, paixão e honra estala uma guerra ...

De "Os Incorruptíveis Contra a Droga" (1971), de William Friedkin, a "Traffic" (2000), de Steven Soderbergh, quando falamos de abordagem dos circuitos das drogas, falamos, sobretudo, de produções do cinema americano. "Pássaros de Verão", filme vencedor do Festival de Havana de 2018, é um objecto que nos pode ajudar a corrigir essa visão.

Estamos, de facto, perante uma produção de raiz colombiana, aliás assinada por um dos mais conhecidos cineastas da Colômbia: Ciro Guerra. Descobrimo-lo com o magnífico "O Abraço da Serpente" (2015), nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro. Agora, Ciro Guerra reparte as tarefas de realização com Cristina Gallego, colaboradora regular dos seus filmes anteriores, em especial na área da produção.

E não surpreenderá se dissermos que encontramos, aqui, uma fundamental diferença temática. Não se trata, de facto, de dar conta do tráfico de drogas no interior dos EUA, mas sim de observar o que, por assim dizer, constitui a sua retaguarda. Em cena está o enriquecimento de uma família indígena através da venda de drogas (ao longo das décadas de 1960/70) e, a partir de certa altura, uma guerra aberta com aqueles que disputam o seu poder.

Mais do que um "thriller", trata-se de uma tragédia: através do conflito que se instala, deparamos com uma lenta decomposição do próprio tecido cultural da comunidade indígena e, no limite, o abandono dos seus valores mais ancestrais. "Pássaros de Verão" reflecte, assim, uma exemplar exigência realista, afinal presente nas mais diversas cinematografias do nosso tempo.

Crítica de João Lopes
publicado 23:09 - 22 junho '19

Recomendamos: Veja mais Críticas de João Lopes