Comunidades

Onésimo Teotónio Almeida, venceu o Prémio Mariano Gago 2019 da SPA.

  
       A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) anunciou que "O século dos Prodígios", de Onésimo Teotónio Almeida, venceu o Prémio Mariano Gago 2019, destinado a distinguir o melhor livro português de divulgação científica editado no ano anterior. Obra já distinguida, com o Prémio História da Presença de Portugal no Mundo, em novembro do ano passado, pela Academia Portuguesa de História.
      Editado pela Quetzal "O Século dos Prodígios", reúne um conjunto de ensaios sobre o papel desempenhado por Portugal e os portugueses nos séculos XV e XVI. Seu olhar investigativo debruça-se sobre o pioneirismo da ciência portuguesa naquela época de grandes conquistas e descobertas.
      A Sociedade Portuguesa de Autores afirmou em www.noticiasaominuto.com/cultura e aqui reproduzo: "Os Descobrimentos portugueses foram um marco na história mundial, sem o qual outros não se poderiam ter concretizado", sublinhando que "a historiografia internacional da ciência tem ignorado esses contributos dos navegadores pioneiros".
      Onésimo Teotónio Almeida com a perspicácia que lhe é peculiar chama atenção para o pioneirismo científico dos portugueses neste século dos prodígios, de inovações e muita especulação, como afirma o autor nas páginas vestibulandas. Na verdade todo o livro é um passeio por esta época áurea da história de Portugal. O professor, o filósofo, o cronista, o impagável contador de história e estórias aqui está no papel de “historiador da ciência portuguesa” que ele de cara confessa – nem sempre estava tão preparado quanto desejava – mas que podemos reconhecer também em "A Obsessão da Portugalidade", da mesma Quetzal.
      Ao cumprimentar Onésimo Teotónio Almeida pela atribuição do Prémio Mariano Gago 2019, da Sociedade Portuguesa de Autores, ao seu livro "O Século dos Prodígios", o Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, ressaltou:
       “Se a temática da obra em causa, ao versar sobre a importância que o nosso País teve, em especial nos séculos XV e XVI, no desbravar de novos caminhos, também do conhecimento, é motivo de satisfação, o facto de o seu autor ser um Açoriano que tem uma ligação aos Açores que não se resume apenas ao facto desse ser o local do seu nascimento, é motivo de acrescido orgulho”, Na carta de felicitações, o Presidente do Governo fez ainda votos que o Prémio Mariano Gago 2019 “constitua um incentivo acrescido para a continuação de um trabalho que também prestigia os Açores”.