Comunidades

George Monteiro -Serviços

Açorianidade – 354 PorqueHojeEhSabado 2018.02.10 [George Monteiro, “Serviços”. Duo Anticiclone, “Manjericão”]. Organizado por Olegário paz

George Monteiro -Serviços


(Marcelino Vespeira 1926-2002)


©  




Serviços


Aparentemente sem uma saída, estes
Açorianos das limpezas (por esta ordem)
pensam que aprendem uma profissão

a trabalhar no Departamento de Inglês,
nos edifícios. Enquanto lavam o chão e
as janelas em quartos atulhados de

livros que não sabem ler, eles
respiram a língua num
vazio de luzes e sombras

que salpicam e inundam o turno
das quatro pelo que, tal como está, não
há trabalho de dia ou terceiro turno.

Os salários estão seguros, assim o dizem,
e eles também.
_________________________________________

Services

Seemingly without end, these
Azorean janitors (in sequence)
think they learn a trade working

in Department of English
buildings. Washing floors and
windows in rooms faced with

books they cannot read, they
breathe in the language in an
emptiness of lights and shadows

that speckle and flood the swing
shift where for such as they there
is no day-work or graveyard duty.

Wages are steady, it is said by
them, and so are they.

(Mar. 24, 1988)
______________________________________
George Monteiro,
Inédito
(A editar em volume bilingue com tradução portuguesa de José Francisco Costa).


Monteiro, George (1932) professor, escritor, poeta, filho de pais portugueses, açoriano de afeição, é natural de Valley Falls, Rhode Island, Estado Unidos da América, onde reside.