Comunidades

Jorge de Sena `Noções de Linguística`

[...As línguas, que duram séculos e mesmo sobrevivem esquecidas noutras, morrem todos os dias na gaguez daqueles que as herdaram...]

Jorge de Sena `Noções de Linguística`

(Eugène Jules Laermans, 1864-1940)



Noções de Linguística


Ouço os meus filhos a falar inglês

entre eles. Não os mais pequenos só

mas os maiores também e conversando

com os mais pequenos. Não nasceram cá,

todos cresceram tendo nos ouvidos

português. Mas em inglês conversam,

não apenas serão americanos: dissolveram-se,

dissolvem-se num mar que não é deles.

Venham falar-me dos mistérios da poesia,

das tradições de uma linguagem, de uma raça,

daquilo que se não diz com menos que a experiência

de um povo e de uma língua. Bestas.

As línguas, que duram séculos e mesmo sobrevivem

esquecidas noutras, morrem todos os dias

na gaguês daqueles que as herdaram:

e são tão imortais que meia dúzia de anos

as suprime da boca dissolvida

ao peso de outra raça, outra cultura.

Tão metafísicas, tão intraduzíveis,

que se derretem assim, não nos altos céus,

mas na caca quotidiana de outras.






"Noções de linguística" é um dos poemas do livro "Exorcismos", de 1972.


Jorge de Sena (Lisboa, 1919 — Santa Barbara, 1978) foi poeta, crítico, ensaísta, ficcionista, dramaturgo, tradutor e professor universitário português.