Cultura

65 danças e bailinhos pisaram os palcos da Terceira pelo Carnaval (Vídeo)

São 1940 pessoas em cima dos palcos, durante 4 dias. Danças de Espada, Danças de Pandeiro e Bailinhos percorrem os cerca de 35 palcos da ilhas.

© Isidro Vieira

Este é um Carnaval diferente dos restantes que acontecem pela região e pelo país. 

O teatro popular é o rei desta festa. Este ano foram cerca de 2000 pessoas entre músicos, atores e dançarinos.

Os grupos dividem-se por três géneros diferentes: Dança de Espada, Dança de Pandeiro e Bailinhos. 

Dos terreiros passaram para os salões, da Páscoa para o Carnaval e do dia para a noite. As danças de espada são o género mais icónico do Carnaval da ilha Terceira e as únicas que, atualmente, apresentam risco de sobrevivência. 

Saudação, assunto e despedida são traços gerais dos mais de 60 grupos que pisam os palcos da ilha, mas as diferenças começam quando o pano abre. As danças de pandeiro nasceram no Ramo Grande, Praia da Vitória, e marcaram a diferença pelo ritmo, exigência e assuntos de comédia. 

O mais recente género deste Carnaval popular é o bailinho com apenas algumas dezenas de anos. De varinha ou em baile aberto este é o género que mais podemos encontrar nos cerca de 40 palcos de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória. 

RTP/Açores