Local

Rodrigo Rodrigues questiona estratégia da aerogare das Lajes (Vídeo)

O presidente da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo defende a privatização da gestão, desta que é e única aerogare da região sob alçada do Governo Regional.

Com a nova orgânica a estrutura deixa de estar sob alçada da Direção Regional dos Transportes, para estar na dependência direta da Vice-presidência.

A Câmara do Comércio de Angra estranha e desconhece a razão.

A gestão pública deste serviço obriga às burocracias e prazos da contratação pública.

Há mais de um ano que a associação que representa os empresários defende a gestão privada da aerogare das Lajes, mas a mudança nunca aconteceu.

O dado novo é mesmo a substituição de Isménia Nunes, no cargo de diretora, por Victor Pereira.

Do total de aerogares na região, quatro são geridas pela SATA Gestão de Aeródromos e outras quatro pela Ana Aeroportos.

Para Rodrigo Rodrigues, o domínio público da aerogare das Lajes, coloca a Terceira fora do circuito de promoção turística.

Na estrutura partilhada entre a vertente militar e civil contam-se quase pelos dedos, o número de voos diários na era Covid.

RTP/Açores