Ouvir
Programa da Manhã
Em Direto
Programa da Manhã Com José Carlos Trindade

Concertos

Tributo a Carlos Paião

Na Casa da Música (Porto) e Capitólio (Lisboa)

|

Tributo a Carlos Paião

PAIÃO é um projeto musical português criado em 2018 com o intuito de homenagear a obra de Carlos Paião, no ano em que se assinalam os 30 anos da sua morte.

Nos próximos dias 1 e 2 de fevereiro, o grupo apresenta-se ao vivo na CASA DA MÚSICA (Porto) e no CAPITÓLIO (Lisboa), respetivamente, com dois concertos de apresentação do álbum PAIÃO, disco Antena1, editado no passado dia 16 de novembro 2018. Reunindo artistas de vários grupos e correntes musicais, PAIÃO é composto por João Pedro Coimbra (Mesa) e Nuno Figueiredo (Virgem Suta e Ultraleve), ambos responsáveis pela releitura dos temas, e pelas vozes da cantautora Via, Jorge Benvinda (Virgem Suta) e Marlon (Os Azeitonas). Com o Apoio da Antena1!

O Projeto de homenagem a Carlos Paião, sobe, para já, por 2 noites a palco: Ana Sofia Carvalheda conversou com 3 dos protagonistas deste projeto: João Pedro Coimbra, Via e Marlon...



"Há cerca de um ano, ao pensar o que, além dos concorrentes, poderia integrar a edição do Festival da Canção do ano em que pela primeira vez Portugal ia acolher o Festival da Eurovisão, a RTP optou por criar homenagens a algumas figuras marcantes da história deste concurso que cruza já mais de meio século de história da música popular portuguesa. Uma das homenagens na verdade já tinha começado a ser falada num momento de amena conversa informal no ‘green room’ da edição do ano anterior quando, olhando para alguns dos compositores finalistas de 2017 (o Nuno Figueiredo e o João Pedro Coimbra), lhes perguntei: e que tal vocês no epicentro de versões de canções de Carlos Paião? O desafio ganhou peso oficial em 2018, um grupo nasceu e teve então uma primeira vida em dois serões de domingo no estúdio 1 da RTP... Mas as versões e a banda tinham voz (e pernas) para andar... Houve novas ideias, alguns acertos mais... E, agora, “Paião” ganha vida própria. E como não há duas sem três, ficamos à espera de saber que surpresas mais haverá no seu caminho..."

Nuno Galopim, novembro de 2018