As famílias e os seus dramas
Sean Penn contracenando com a sua filha, Dylan Penn

CANNES 2021  

As famílias e os seus dramas

Sean Penn regressou à competição de Cannes na dupla qualidade de actor e cineasta: "Flag Day" é um empreendimento eminentemente familiar, já que a personagem da narradora é assumida por Dylan Penn, filha do realizador.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 As famílias e os seus dramas
Flag Day - Dias Perdidos John Vogel foi uma personagem extraordinária. Quando criança, a sua filha Jennifer ficava maravilhada com o seu magnetismo e a sua capacidade de tranformar a vida numa grande aventura. Ensinou-lhe muito sobre amor e alegria, mas Jennifer também descobrirá a vida dupla que John levava como assaltante de bancos e falsificador.

Infelizmente, não há muito a dizer sobre a nova realização de Sean Penn, "Flag Day", também intérprete principal. Dir-se-ia que o actor/realizador ficou bloqueado num projecto que hesita entre ser uma evocação factual e uma grande parábola (?) sobre as relações pais/filhos — ou, mais precisamente, entre um pai e a sua filha.

Lembremos, por isso: esta é a história de John Vogel (Penn), assaltante de bancos e falsificador de dinheiro. Em boa verdade, no centro da história está a sua filha, Jennifer Vogel, jornalista que escreveu um livro sobre o pai, revelando como, em boa verdade, apenas teve noção das suas actividades quando ele foi preso...

Sean Penn terá querido transfigurar este drama familiar, "duplicando-o" num empreendimento também ele familiar. Dito de outro modo: entregou o papel de Jennifer a sua filha, Dylan Penn. O certo é que a definição algo simplista da personagem está longe de sustentar o respectivo trabalho de composição e o filme vai-se arrastando sem nunca encontrar um tom minimamente coerente.

"Flag Day" acaba por ser um exemplo revelador de como não basta ter uma personagem invulgar ou atípica para construir um filme. Mais do que isso: a exploração de um visual "decorativo", com algo de videoclip "lírico", prejudica ainda mais os resultados, como se Penn tivesse, afinal, menosprezado a via da própria tradição — talvez fosse suficiente optar por uma sólida abordagem psicológica...

por
publicado 00:42 - 12 julho '21

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2021