Estreias  

Família, sociedade & comédia

Apresentado na Festa do Cinema Italiano, "Se Deus Quiser" pode simbolizar uma tendência que, felizmente, não desapareceu da paisagem do cinema que se faz em Itália — em causa está o gosto em recuperar a grande tradição da comédia.

Família, sociedade & comédia
"Se Deus Quiser" — a comédia que nasce no interior do espaço familiar
Crítica de
Subscrição das suas críticas
125

O filme "Se Deus Quiser", de Edoardo Falcone, foi escolhido para encerrar a 10ª edição da Festa do Cinema Italiano. E há que reconhecer que foi uma opção carregada de simbolismo: aqui está, de facto, um objecto que, para além das suas limitações, reabre uma hipótese de ligação com uma das mais genuínas tradições do cinema italiano — a tradição da comédia.

Como muitos outros títulos da mesma área, também este começa por um facto mais ou menos anedótico: um cirurgião muito respeitado (Marco Giallini) é surpreendido pelo facto de o filho (Edoardo Pesce) anunciar à família que se quer tornar padre... Sendo o pai um homem ateu, sente necessidade de conhecer o sacerdote (Alessandro Gassman) que, segundo ele, "inspirou" o filho...


Toda a arte deste modelo de narrativas consiste em transfigurar as peripécias iniciais num tecido de atribulações que, através do humor, vai expondo as linhas de clivagem familiares e sociais. É bem verdade que "Se Deus Quiser" vai cedendo, por vezes, a algumas facilidades caricaturais; mas não é menos verdade que, apesar de tudo, preserva um grau de verosimilhança que nos aproxima de todas aquelas personagens.

Vale a pena lembrar que a Festa do Cinema Italiano deu também a ver uma pequena retrospectiva de filmes de Dino Risi (1916-2008), precisamente um dos autores que mais e melhor cultivou o género cómico em Itália. Mesmo considerando que Falcone está longe da sua subtileza, é bom saber que a herança de Risi (e de outros como Mario Monicelli ou Luigi Comencini) continua a marcar as opções de alguns cineastas contemporâneos.

Crítica de João Lopes
publicado 00:35 - 14 abril '17

Recomendamos: Veja mais Críticas de João Lopes