Hollywood regressa ao isolamento profilático

Box Office  

Hollywood regressa ao isolamento profilático

Em plena temporada de prémios, a indústria norte-americana do entretenimento volta a cancelar e atrasar estreias e eventos. Quem não tem alternativa, vira-se outra vez para o online.

A pandemia não acabou e o vírus adapta-se mais depressa do que qualquer atividade humana. A última variante chama-se Omicron e em meras semanas abafou a Delta, hoje tão obsoleta como um Blackberry. Em pleno calendário ritual de atribuição de honrarias, o cinema norte-americano treme e repete a trilogia do último par de anos: cancelar, atrasar, ou digitalizar.

Previsto para 7 de janeiro, o festival de Palm Springs, o primeiro do ano apesar de secundário no grande esquema das coisas, foi cancelado. Opção semelhante para diversos almoços e atos sociais que tradicionalmente integram as solenidades pré-Oscar. Três entregas de prémios da crítica, Critic Choice Awards, Nation Board of Review, e Hollywood Critics Association adiaram os seus eventos para final de fevereiro.

Os Grammys, que premeiam a indústria musical, também deslizaram para data mais tardia, e o festival de Sundance, montra do cinema independente norte-americano que decorre entre 20 e 30 de janeiro, desistiu de ter gente nas salas de Park City, no Utah, e passou na totalidade para o online.

No meio da confusão, a Omicron acabou por ser uma ajuda para os organizadores dos Globos de Ouro. Alvos preferidos do setor após um artigo que expôs práticas pouco éticas e falta de diversidade na Hollywood Foreign Press Association, os Globos perderam a emissão em direto na televisão e viram as celebridades recusarem presença num boicote que, repentinamente, deixou de fazer sentido diante do pico de casos de COVID-19 na Califórnia. Assim, os Globos serão atribuídos numa cerimónia privada e os vencedores anunciados através das redes sociais.

Os Óscares continuam previstos para 27 de março. Com o pico da nova vaga previsto para meados de janeiro, a Academia continua a acreditar que será possível realizar a cerimónia na data prevista.

Passadeiras vermelhas recolhidas

Outros eventos públicos cancelados incluem antestreias com presença de atores e realizadores. Não haverá passadeira vermelha nos próximos tempos. O primeiro filme a dar nota deste facto foi "Gritos" que viu a Paramount anular os convites para a primeira sessão pública prevista em Los Angeles a 11 de janeiro, com a presença de Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette.

Produções suspensas


As séries "9-1-1", "Anatomia de Grey", "Station 19", "The Crown" e "NCIS" foram obrigadas a alterar os calendários de filmagens devido a casos de COVID-19. O caso mais grave ocorreu na produção de "Star Trek: Picard" onde um surto já infetou mais de 50 pessoas.

Whoopi Goldberg, Jimmy Fallon e Seth Meyers também testaram positivo à COVID-19 durante a pausa de Natal o que obrigou a suspender os respetivos programas de televisão.


Estreias atrasadas

O receio do aumento de casos de COVI-19 está a levar os estúdios a regressar à prudência. "Morbius", da Sony Pictures, um filme com Jared Leto inspirado num dos vilões das histórias da Marvel atrasou três meses. No Reino Unido, "Cyrano" e "Operation Mincemeat", também viram as estreias deslizar para mais tarde.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Box Office