Óscar 2015: cinco triunfos marcantes

Oscar 2015  

Óscar 2015: cinco triunfos marcantes

Alejandro González Iñarritu, Emmanuel Lubezki, Julianne Moore, Eddie Redmayne e Pawel Pawlikowski fizeram história na 87ª cerimónia dos Óscares.

Artigo recomendado:
Óscar 2015: cinco triunfos marcantes
Oscar 2015
"Birdman" vence 87ª edição dos Oscars Confira a lista dos vencedores da noite de entrega dos prémios da academia norte-americana.

Alejandro González Iñárritu foi consagrado como realizador do ano ao receber o Óscar de melhor filme e realização com "Birdman" a sua sátira sobre a indústria do entretenimento. O filme acumulou ainda os prémios de melhor argumento original e fotografia (atribuído ao mexicano Emmanuel Lubezki).

"Wow! O caminho de 'Birdman' começou há três anos, quando eu desafiei o Nico, o Alexander e o Armando a seguirem-me ... Eles fizeram isso porque são loucos e, juntos, nós escrevemos 'Birdman'. Estou-lhes grato" disse o realizador quando recebeu o prémio de melhor argumento que compartilhou com Alexander Dinelaris e argentino Nicolás Giacobone e Armando Bo.

Momentos depois, o ator Sean Penn apresentou o prémio de melhor realizador dizendo: "Quem deu o cartão verde a este filho da p...?". Iñárritu respondeu declarando que as autoridades de imigração estabeleceram novas regras para membros da Academia. Penn e González Iñárritu são velhos conhecidos desde que trabalharam juntos em "21 Gramas".

O cineasta agradeceu à sua equipa, especialmente o protagonista Michael Keaton e aos seus colegas mexicanos Alfonso Cuarón e Guillermo Del Toro, que "também fazem parte disto, acompanharam toda a minha vida e a minha carreira."

Depois fez uma pausa e dedicou o prémio a todos os mexicanos. "Dedico este prémio aos meus colegas mexicanos, os que vivem no México. Rezo para que possamos encontrar e construir o governo que merecem. E os (mexicanos) que vivem neste país e que fazem parte do imigrantes de última geração no país, peço que sejam tratados com a mesma dignidade e respeito dos que vieram primeiro e construiram este país surpreendente de imigrantes ", disse ele.

O mexicano Lubezki ganhou o seu segundo Oscar, um ano depois de ter sido premiado pela fotografia de "Gravidade", de Alfonso Cuarón. "Quero especialmente compartilhar este prémio com o meu amigo Alejandro González Iñárritu, pela sua curiosidade, a sua paixão e a sua amizade", afirmou.

Como previsto, Julianne Moore ganhou o prémio de melhor atriz pelo seu desempenho em "O Meu Nome é Alice", onde interpreta uma mulher que enfrenta os primeiros sintomas de Alzheimer; Eddie Redmayne foi premiado na categoria de melhor ator pela sua interpretação de Stephen Hawking em "A Teoria de Tudo".

"Eu não sei se consigo articular como me sinto. Mas por favor, saibam que tenho consciência de que sou um homem de muita sorte ", disse o ator britânico que foi nomeado pela primeira vez para este prémio. "Este Óscar pertence a todas as pessoas no mundo que sofrem de ALS (esclerose lateral amiotrófica)".

Julianne Moore obteve o primeiro Óscar com a quinta nomeação: "Estou muito feliz e animada por que iluminamos o problema da doença de Alzheimer. Muitas pessoas com esta doença sentem-se marginalizadas. As pessoas com doença de Alzheimer merecem ser vistas para que possamos encontrar uma cura. "

A cerimónia ficou marcada pelo primeiro prémio que a Academia atribuiu a um filme polaco. "Ida" ganhou o Óscar de melhor filme em língua estrangeira. É um drama de época sobre uma freira polaca que descobre factos obscuros da sua família durante a ocupação nazi.

"Como cheguei aqui?", afirmou o diretor do Pawel Pawlikowski, que ganhou o primeiro Óscar após 9 nomeações de filmes polacos. "Nós temos uma grande tradição de cinema, idades de ouro, mas nenhum Óscar". Até hoje.

por
publicado 16:26 - 23 fevereiro '15

Recomendamos: Veja mais Artigos de Oscar 2015