Óscares: Jane Campion e o poder dos prémios

Mais CinemaCinema Norte-americano  

Óscares: Jane Campion e o poder dos prémios

A seis dias da entrega dos Óscares, "O Poder do Cão" e "CODA" apresentam-se como principais favoritos, enquanto "Belfast" perde fôlego e "Duna" se mantém à espreita.

Artigo recomendado:
Óscares: Jane Campion e o poder dos prémios
Oscar 2021
Cerimónia dos Óscares apresentada a três As atrizes Regina Hall, Amy Schumer e Wanda Sykes estreiam-se na condução do espectáculo.

No passado fim de semana, foram conhecidos os vencedores dos últimos prémios do cinema norte-americano antes dos Óscares. "CODA" ganhou os PGA Awards da associação de produtores e na categoria de melhor argumento adaptado, nos prémios da Writers Guild of America. Antes, a versão do filme francês "A Família Belier" sobre uma filha de pais surdos que tenta conciliar a carreira de cantora com o dever de auxiliar a família, recebera ainda o prémio de melhor elenco e melhor secundário na cerimónia organizada pelo sindicato de atores, os SAG Awards.

A seis dias dos Óscares, "CODA" tem em "O Poder do Cão" o principal adversário. O western tardio de Jane Campion fez a dobradinha nos BAFTAs britânicos, melhor filme e melhor realização, algo que viria a repetir nos DGA Awards, do outro lado do atlântico. Fora dos prémios decididos por potenciais votantes da academia norte-americana, mas com capacidade de influenciar decisões, também os Globos de Ouro e os Critic Choice Awards penderam para o lado da neozelandeza.

Enquanto isso, Kenneth Branagh viu o seu "Belfast" passar de principal favorito a interveniente secundário. Nos BAFTA foi apenas o melhor filme britânico e nos Critic Choice Awards ficou-se pela categoria de melhor elenco.

À partida para os Óscares, a vantagem pertence a "O Poder do Cão", com 12 nomeações. Segue-se "Duna", com 10, mas o filme de Denis Vileneuve deverá repetir o cenário dos BAFTAs e dominar apenas nas categorias técnicas.

Perante a subida da concorrência, "Belfast", com sete nomeações, arrisca não ganhar nada.

As surpresas podem surgir do lado de "Não Olhem Para Cima", melhor argumento original nos Writers Guild Awards, ou de "Drive My Car", caso o filme japonês, favorito ao Oscar de melhor filme estrangeiro, consiga surripiar a estatueta de melhor realização, ou deixar toda a gente em choque e repetir a proeza de "Parasitas" com um triunfo na categoria principal.

Perante o interesse cada vez menor dos espectadores e ameaças de boicote pela supressão de algumas categorias técnicas do direto televisivo, os Óscares avançam para a 94.ª edição durante a madrugada de 27 para 28 de março, a partir do Dolby Theatre em Hollywood. Regina Hall, Amy Schumer e Wanda Sykes estreiam-se na apresentação.

por
publicado 17:44 - 21 março '22

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais CinemaCinema Norte-americano