Desporto

Manchester United e a Juventus deixam Associação Europeia de Clubes

O Manchester United e a Juventus anunciaram hoje que deixaram a Associação Europeia de Clubes (ECA), com o presidente dos italianos, Andrea Agnelli, a deixar a presidência deste órgão, na sequência do anúncio de uma Superliga europeia.

Manchester United e a Juventus deixam Associação Europeia de Clubes

© Lusa

Agnelli e Ed Woodward, que lideram dois dos 12 clubes fundadores da nova competição, abandonam a ECA para se dedicarem ao novo torneio, com Woodward a deixar também o posto que ocupava na UEFA desde 2017.

O italiano liderava a associação desde 2017, saindo após a ECA, formada por mais de 220 clubes, se posicionar contra a criação de uma Superliga, enquanto Woodward vai assumir um posto na direção da Superliga.

As informações foram hoje avançadas por meios de comunicação social italianos e ingleses, no meio de uma série de notícias que seguem o anúncio, na noite de domingo, da criação de uma prova há anos falada e criticada por muitos quadrantes do futebol, com FIFA e UEFA à cabeça.

No domingo, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, FC Barcelona, Inter de Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham, treinado pelo português José Mourinho, “uniram-se na qualidade de clubes fundadores” da Superliga, indica um comunicado enviado à AFP.

“A época inaugural (...) iniciar-se-á o mais brevemente possível”, informam os subscritores do comunicado, sem precisar qualquer data, adiantando que a nova competição pretende “gerar recursos suplementares para toda a pirâmide do futebol”.

Os promotores da Superliga adiantam que a prova será disputada por 20 clubes, pois, aos 15 fundadores – apesar de terem sido anunciados apenas 12 -, juntar-se-ão mais cinco clubes, qualificados anualmente, com base no desempenho da época anterior.

C/Lusa