Economia

Edifícios licenciados na Madeira caem quase para metade no primeiro trimestre de 2018

A Região Autónoma da Madeira, de acordo com o INE, foi a única a registar queda homóloga nesta variável (-42,7%).

Edifícios licenciados na Madeira caem quase para metade no primeiro trimestre de 2018

© DR

Os edifícios licenciados aumentaram 2% para 5,1 mil no primeiro trimestre deste ano, face a igual período de 2017, e os edifícios concluídos subiram 20% para 3,5 mil edifícios, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No primeiro trimestre, os edifícios licenciados aumentaram em 18,3% em relação ao trimestre anterior, quando tinham registado uma queda de 4%, enquanto os edifícios concluídos subiram 3,6% face aos três meses anteriores, período em que o crescimento observado foi de 0,7%.

Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se, no período em análise, um aumento de 6,3%, contra uma subida de 3,5% no último trimestre do ano passado, ao passo que no licenciamento para reabilitação registou-se uma queda de 20,7%, depois de no quarto trimestre de 2017 se ter verificado um recuo de 12,1%, segundo dados do INE.

Do total de edifícios licenciados, 70,7% dizem respeito a construções novas e, destas, 70,3% destinam-se a habitação familiar, sendo que os edifícios demolidos (504) corresponderam a 9,8% o total de edifícios licenciados nos três primeiros meses deste ano.

A região Centro foi a única que apresentou queda no total de edifícios licenciados face ao período homólogo (-4,3%).

Já a região do Algarve teve uma variação nula e as restantes regiões apresentaram subidas, com destaque para o Alentejo (+7,6%), Área Metropolitana de Lisboa (+5,4%) e o Norte (+4,4%).

Segundo o INE, estima-se que tenham sido concluídos 3,5 mil edifícios em Portugal, sendo que na sua grande maioria são construções novas (72%), das quais 69,8% tiveram como destino a habitação familiar.

Apenas a Região Autónoma dos Açores apresentou um recuo em termos homólogos no número de edifícios concluídos (-3,3%). As restantes regiões registaram um aumento a este nível, com destaque para as regiões do Algarve (+48,6%), Alentejo (+28,5%) e o Norte (+27,0%).

As obras concluídas para construções novas em Portugal aumentaram 24,7% face ao primeiro trimestre de 2017 e as obras de reabilitação cresceram 9,5%.

Na comparação com o trimestre anterior, as obras concluídas para construções novas cresceram 4,7%, enquanto as obras de reabilitação aumentaram 0,7%.

No primeiro trimestre foram concluídos 2,7 mil fogos em construções novas para habitação familiar, correspondendo a um aumento de 36,8% face ao primeiro trimestre do ano passado (+26,0% no último trimestre de 2017).

A Região Autónoma da Madeira, de acordo com o INE, foi a única a registar queda homóloga nesta variável (-42,7%).

As restantes regiões apresentaram aumentos homólogos positivos, com destaque para as regiões do Alentejo (+74,7%), Área Metropolitana de Lisboa (+53,7%) e o Algarve (+51,4%).

Do total de edifícios concluídos no primeiro trimestre, 71,0% localizavam-se nas regiões Norte e Centro, correspondendo a 66,4% do total de fogos concluídos em construções novas para habitação em todo o país.

À região Norte corresponderam 40,9% dos edifícios e 36,9% dos fogos concluídos.

Na Área Metropolitana de Lisboa foram concluídos 10,1% do total de edifícios e 17,6% do total de fogos.

No primeiro trimestre, verificou-se uma queda em 10,8% na área total construída em Portugal, face aos três meses anteriores, sendo que para tal contribuiu a diminuição verificada nas regiões do Algarve (-41,6%), Centro (-39,4%) e Região Autónoma da Madeira (-16,7%).

C/ LUSA