Política

Governo da Madeira critica negligência do executivo quanto a ligações da Binter

O presidente do Governo da Madeira considerou esta sexta-feira a situação do cancelamento de voos da Binter “desastrosa”, criticando a "postura negligente” do executivo da República, que “não acerta uma” e é “um desastre completo”.

Governo da Madeira critica negligência do executivo quanto a ligações da Binter

© DR

“A situação é desastrosa, porque penso que mais uma vez o Governo da República foi negligente, visto que abriu concurso [concessão da linha aérea Madeira/Porto Santo] muito tarde”, disse Miguel Albuquerque à margem da abertura da Festa do Peixe Espada Preto, na cidade de Câmara de Lobos.

O governante social-democrata madeirense referiu que o ajuste direto feito à transportadora espanhola para esta linha “acabou na quarta-feira”.

“Penso que a companhia sem um contrato na mão estava relutante em voar neste momento”, argumentou, considerando que esta situação é “desastrosa” e provocou o cancelamento de 12 voos entre as ilhas da Madeira e Porto Santa nos últimos dias.

Miguel Albuquerque salientou que os passageiros não são atendidos no aeroporto e “ninguém comunica nada a ninguém, o que é uma vergonha”

O chefe do executivo insular realçou que, na passada quarta-feira, o Governo da Madeira enviou uma carta ao ministro das Infraestruturas, solicitando informações sobre as condições do contrato em causa, mas “ainda não obteve resposta”.

“Segundo parece o contrato está no Tribunal de Contas”, complementou, opinando que “ninguém sabe o que é que se está a passar, o que é mais uma vez uma demonstração de como este Governo trata a Região Autónoma da Madeira”.

O líder insular destacou a importância desta ligação aérea para a população das duas ilhas do arquipélago, vincando que o concurso da concessão desta linha “foi aberto tarde e a mal horas, depois de ter sido prorrogado o prazo”.

“Este ajuste direto acabou, ninguém fez nada porque a Madeira não existe, parece uma ficção, não há cidadãos aqui a viver, não precisam de ir de uma ilha para outra”, declarou Miguel Albuquerque.

No seu entender, esta é uma situação “caricata”, porque existe uma “companhia a voar sem contrato”.

Por isso, o Governo da República tem de “assumir responsabilidades e rapidamente para resolver a situação”

“Já temos 12 voos cancelados, isto é uma situação inaceitável”, realçou, censurando ainda a forma como os passageiros afetados pelos cancelamentos são tratados

Miguel Albuquerque concluiu: “Já não basta a TAP. Este Governo não acerta uma. É um desastre completo”.

Na abertura da Festa do Peixe Espada Preto, uma das iguarias da gastronomia madeirenses, que decorre este fim de semana na cidade de Câmara de Lobos, o presidente do Governo Regional ainda anunciou que, no próximo ano, o executivo prevê criar uma “linha de crédito, bonificada” na ordem dos 500 mil euros destinada à renovação da frota pesqueira.

LUSA