Política

PS quer que Albuquerque não arraste os madeirenses para o seu «súbito devaneio por criptomoedas»

O líder do PS Madeira Sérgio Gonçalves refere-se à recente despesa de 100 mil euros do erário público regional gastos num escritório de advogados para estudar a implementação de moeda eletrónica na Região, o que soma aos «mais de 26 mil euros pagos para ser orador durante um minuto e meio numa conferência de Bitcoin em Miami».

PS quer que Albuquerque não arraste os madeirenses para o seu «súbito devaneio por criptomoedas»

© DR

Em particular, Sérgio Gonçalves quer que Miguel Albuquerque explique como se gasta 100 mil euros para a implementação pela Região Autónoma da Madeira de moeda eletrónica, dias depois deste ter afirmado «Não compete ao governo fazer criptomoedas. Não temos nada em fazer cripto moedas».

Para Sérgio Gonçalves o Presidente Regional está a confundir os seus interesses particulares com o interesse comum da Região Autónoma da Madeira. “Só assim se explica este completo devaneio por criptomoedas que tem já os episódios lamentáveis de Miguel Albuquerque a desdizer-se em diferentes momentos.” O presidente do PS Madeira refere-se à ida de Miguel Albuquerque a uma convenção de Bitcoin a Miami em abril deste ano, no qual a presidência do Governo Regional teve a necessidade de desmentir nos jornais internacionais a afirmação que a Madeira iria adotar a Bitcoin como moeda oficial. Mais recentemente, a presidência do Governo Regional veio também desmentir a participação na criação da primeira moeda virtual madeirense, Osean, num investimento de 60 milhões de euros, alegadamente do Governo Regional.

“Estes súbitos devaneios do presidente do Governo Regional começam a custar caro aos madeirenses. Não podemos ter um presidente que confunde os seus interesses particulares com o interesse da Região. Se ele quiser fazer os investimentos a título pessoal, que os faça, mas não envolva os madeirenses nestas suas aventuras financeiras”. Refere Sérgio Gonçalves que demonstra a sua preocupação perante a atitude profundamente errática de Miguel Albuquerque.

O presidente do PS Madeira recorda que nos últimos meses, “Miguel Albuquerque teve afirmações gravíssimas para a integridade e soberania nacional ao questionar se vale a pena a Madeira continuar integrada na República. Agora assistimos a este episódio lamentável em que demonstra que a presidência do Governo Regional não faz a mínima ideia das obrigações de soberania monetária da Região.”