Sociedade

Covid-19: Ensino presencial deverá voltar para alunos do 11.º e 12.º (Áudio)

O Primeiro-ministro afirmou hoje que, na reabertura das aulas presenciais dos 11.º e 12.º anos, ainda sem data definida, alunos e professores usarão máscara de proteção e que os docentes e funcionários que integrem grupos de risco estão dispensados do serviço.

António Costa © DR

De acordo com o chefe do executivo, no futuro, ainda sem data agendada, as escolas vão abrir para “as 22 disciplinas que são sujeitas a exames específicos para acesso ao Ensino Superior”, no 11.º e 12.º anos, sendo que "as restantes serão leccionadas à distância”, a partir do dia 14 de abril. 

Estas medidas foram anunciadas por António Costa no final da reunião do Conselho de Ministros, tendo ao seu lado o titular da pasta da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

De acordo com o primeiro-ministro, as direções dos agrupamentos deverão tomar as medidas adequadas para que as aulas no terceiro período, quando reabrirem, decorram com o respeito do distanciamento e higienização adequados, incluindo-se aqui a utilização de máscaras.

"Até decisão expressa em contrário das autoridades de saúde, alunos, professores e trabalhadores não docentes utilizarão máscara de proteção no interior da escola, que será disponibilizada pelo Ministério da Educação", salientou António Costa.

Entre as medidas de precaução, está igualmente a dispensa do serviço letivo presencial para "os docentes e trabalhadores não docentes que integrem algum grupo de risco".

"Respeitando a responsabilidade partilhada com as famílias, todas as faltas dos alunos são consideradas justificadas sem necessidade de qualquer requerimento ou atestado", completou o líder do executivo.

C/Lusa